A Pequena Escola de Culinária da Katita – 2ª Temporada!

13 de julho de 2014 § 6 Comentários

cartaz escolinha julho

_Programação de 18/07 a 03/08_

Turmas de 5 pessoas | Aulas de 3 e 4 horas | Todas as aulas terminam em mesa linda e florida de degustação | Vale levar uma bebida e tirar os sapatos

Inscrições aqui pela fanpage https://www.facebook.com/piteucozinhafetiva

18 (sex) das 18h às 21h – ARROZ DE HAUÇÁ
Prato de origem africana. Um arroz cremoso de coco (natural) com carne seca desfiada e frita na cebola roxa e molho de camarão seco.
Vale R$85

19 (sab) das 14h às 17h – SESSÃO DA TARDE PARA CRIANÇAS DE 08 A 13 ANOS
Espaguete integral com molho de tomates orgânicos e almôndegas de patinho
Vale R$80

20 (dom) das 9h às 13h – BOEUF BOURGUIGNON
Guisado de carne e alguns vegetais ao vinho
(com couscous de pistache e ervas frescas)
Vale R$100

25 (sex) das 18h às 21h – CEIA VEGETARIANA
Creme de espinafre com pistache + Bruscheta de ricota frita e caponata ligeira + Tagine de legumes com especiarias
Vale R$100

26 (sab) das 9h às 12h – UM DOIS FEIJÃO COM ARROZ
O bêabá da cozinha brasileira
Feijão (quase) donzelo, os segredos do arroz soltinho, e o bom e velho bife de panela
Vale R$90

27 (dom) das 9h às 13h – BRUNCH (toda última manhã de domingo do mês tem brunch)
Omelete de aspargos com parma, Bruschetas Caprese, Salada Verde com linguiças de alho poró e chutney de caqui, Figos assados com queijo de cabra, Torta folhada de frutas com chocolate
Vale R$110

01 (sex) das 18h às 21h – FESTIVAL DE CAMARÃO
Um entrada : Pincho de camarão no dip de abacate
Uma salada: Camarão flambado no conhaque com molho refrescante de iogurte, hortelã e limão mirim, mix de folhas e pão frito.
Um prato quente: Risoto de Camarão
Vale R$100

02 (sáb) das 9h às 12h – ALMOÇO INDIANO
Koftas de frango com espinafre de entrada e Masala de salmão com pilaf de pistache
Vale R$100

03 (dom) das 9h às 12h – BAIÃO DE DOIS DA KATITA
que na verdade é de três, ou melhor de quatro: arroz, feijão verde, queijo de coalho e linguiça
Vale R$80

O registro de todas as aulas, agenda atualizada e conteúdos, você acessa na página da escolinha: http://apequenaescoladeculinariadakatita.katianajara.com/

O dia-a-dia do meu movimento, na fanpage: http://www.facebook.com/piteucozinhafetiva

Resumo da minha vida profissional (dá um desconto que ainda não consegui atualizar o portifolio, tô chegando!):
www.katianajara.com
(e ainda não consegui resolver o redirecionamento do link aqui para o endereço novo do Pitéu, mais um desconto, plis, vida real!)

O ano passado passou tão apressado…

20 de janeiro de 2014 § 50 Comentários

topo retropiteu
(Soltando, exausta, os cabelos depois do meu último trampo do ano em Maraú: 9 dias cozinhando fora de casa. 170 quilos de comida produzida, 12 refeições para 30 pessoas, 1 festa de Reveillon para 50. Turnos ininterruptos de 13 horas, 1 assistente de cozinha. De lá, o ano começou ainda na estrada, rumo a Cairu, para a produção de um coquetel para 200 pessoas, abertura da expo 100X100 Carybé Ilustra Jorge Amado, que tem a minha curadoria gastronômica. Asé!)

… que eu mal pude escrever aqui, tampouco atualizar o meu site, e da missa vocês não sabem um terço! Na verdade, nem eu mesma tive noção de quanta coisa eu fiz em 2013; só agora, editando fotos de algumas (algumas) das minhas principais atividades para este post, é que pude dimensionar a coisa. Mas sou só gratidão, porque apesar de ter sido um ano dificílimo, não me faltaram oportunidades para criar projetos e realizá-los lindamente, com a benção de Oxalá.

retropiteu

Não necessariamente nesta ordem, fui convidada para participar do Bahia International Guide, ao lado de alguns dos mais importantes chefs da cidade; fiz curadoria gastronômica e ambientação de mesa para três espetáculos, que estão concorrendo ao Prêmio Brasken; gravei webserie para a Todeschini em Bento Gonçalves, representando a Bahia junto a outros 8 chefs das demais regiões brasileiras para o projeto Identidade; fiz festa infantil; estágio no La Taperia com um chef incrível, o José Morchon, dos meus preferidos; fiz casamento vegetariano, camarim pra Deborah Colker, aniversário de poeta na beira do mar; cozinhei em museu; fiz curadoria gastronômica de exposição de Carybé ilustrando Jorge Amado; emprestei minha casa pra editorial de moda; misturei a minha comida com o trampo sustentável de uma das minhas estilistas preferidas, a querida Luciana Galeão; criei o Rango Papular e enchi a minha casa de gente linda no carnaval…

retro piteu3

…ainda em casa, criei a Pequena Escola de Culinária da Katita, motivo de muito orgulho e felicidade, onde recebi mais de uma centena de pessoas nas pequenas e divertidas turmas que abri; pessoas que poderia jurar que foram muito felizes; que brindaram muito em torno de lindas, fartas e floridas mesas; confraternizaram, sorriram e cozinharam descalças e felizes no quentinho da minha cozinha.

retropiteu2

Fiz evento beneficente; distribui sonhos como oferenda para Iemanjá; colei forte nos erês; fiz evento de pensamento sobre a comida dos nossos filhos; mantive a cara na mídia; invadi cozinha de restaurante para dar aula vegetariana; realizei projeto de decoração, e fechei mais um ano em Maraú, a serviço dos Graham, pela sétima vez em 3 anos.

Sei que entenderão agora mais que nunca os meus constantes sumiços. Sei também que os que gostam de mim ficarão orgulhosos. De minha parte, só gratidão.

Fotos de Karina Muniz, Zeza Maria, Mariana Gadelha e Riffs. LUV! Também minhas, de Juli Holer e de Bê.

Efó de Taioba com Jabá

2 de dezembro de 2013 § 10 Comentários

efo

Uma das aulas mais lindas, gratificantes e significativas para mim na Pequena Escola de Culinária da Katita tem sido a Dona Canô Chamou. Por vários motivos. Quem me lê deve se lembrar do tanto que falo sobre a comida do Recôncavo Baiano, uma cultura absolutamente distinta dentro das várias culturas baianas, lamentavelmente (ou não) pouco difundida. De registro gastronômico, que eu saiba, só o livro O Sal é um Dom, de Mabel Velloso; de divulgadores desta cultura, os cozinheiros baianos Vital (de Santo Amaro) e Leila Carreiro (do restaurante Dona Mariquita, aqui de Salvador).

Nesta aula, além da feitura de pratos como a Frigideira de Maturi, o Efó, a Farofa d’água e o Atoladinho de Aipim, que sei fazer muito bem, a gente ouve os vários tipos de samba do Recôncavo (outro aspecto cultural que distingue a região) e faço questão de trazer para a mesa uma ambientação que traduz também o artesanato local do barro e da palha. Sem caricaturas demais, porém; tudo é inspiração e homenagem. O livro de Dona Canô por ali, novos baianos acolá e pessoas afins que vieram por reconhecerem o valor da identidade cultural em tempos de pasteurização global. Estas aulas são lindas celebrações que eu quero manter pelo maior tempo possível. É como uma forma de contribuir com um registro, uma memória, uma homenagem.

efo 1

Tudo isso para introduzir a receita do Efó, um dos pratos mais característicos da culinária do Recôncavo Baiano, que consiste num refogadinho de folha (língua de vaca, taioba, ou até mesmo espinafre) preparado com temperos baianos, um tantinho de dendê, de leite de coco, de xerém.

Eu queria que os alunos tivessem duas opções de pratos principais e duas guarnições; a frigideira com o atoladinho e para transformar o Efó em prato principal, adicionei a Jabá em sua composição; fiz o efó bem molhadinho e destinei a farofa d’água, essa a maragojipana, como sua acompanhante.

As folhas, aferventa-se, escorre-se, e bate-se uma parte no liquidificador com um ‘cadim de leite de coco, misturando ao restante apenas picadinho. Depois refoga-se cebola e alho picadinhos na manteiga de garrafa, soma-se um punhadinho de camarão seco triturado, depois a folha, refoga-se, deita-se um ‘ cadim de azeite de dendê, refoga-se mais um pouquinho, e por último eu somo xerém, que é para ficar crocante, sem cozinhar.

No caso do meu efó com jabá, dessalguei charque traseira por mais de 24 horas trocando a água umas 5 vezes, cozinhei na pressão com as ervas que tinha em casa, desfiei, refoguei com cebola roxa na manteiga de garrafa e somei ao efó.

Fica divino acompanhado de farofa d’água maragojipana, mas essa aí… “são outros quinhentos”, na sequência eu ensino.

efo2

Convém comer comida do Recôncavo num sábado ou domingo ensolarado, com uma excelente pinga só para abrir os trabalhos e cerveja estupidamente gelada na sequência, embora o espumante seja perfeito para acompanhar o dendê; ao som de uma coletânea de Roberto Mendes com sambas do Recôncavo, Novos Bárbaros e Maria Bethânia (minha mão à palmatória), e pelo menos meia dúzia de amigos bons.

Embelezando com hortifruti

22 de agosto de 2013 § 4 Comentários

salsinha

Hoje eu enfeitei a minha aula de Almoço Pá-pum para um grupo fechado de arquitetas divertidíssimas (onde fizemos Paçoca de carne seca, com purê de banana e salada de agrião com queijo de coalho grelhado e xarope de mel de laranjeira), com arranjos de hortifruti. Um com um buquê de brócolis em flor para a mesa e outro com um buquê de salsinha fresca para a cozinha (que aliás ficou perfeito naqueles vasinhos plásticos que a gente modela com água, muito convenientes para este fim).

brocolis

É que as verduras que compro fresquinhas, bem cedinho, aqui na esquina de casa, na mão do meu “freguês” super boa praça, são MUITO inspiradoras.

fregues

Primeiro enfeitam, depois alimentam.

brocolis2

Tortinhas de paçoca com ganache de chocolate amargo e flor do sal

16 de julho de 2013 § 19 Comentários

torta pacoca

Eu precisava de um docinho pá-pum para o cardápio da minha última aula de Festinha Pá-Pum e me lembrei que eu tinha visto essa idéia em algum lugar que não conseguia me lembrar. Nem tive tempo para pesquisar, mas sabia que era só esfarelar a paçoca e misturar manteiga até dar ponto de liga, para enformar e levar ao forno médio pré-aquecido por uns 15 minutos até firmar, porque ela só fica durinha e crocante mesmo depois que esfria, que é quando podemos desenformar também. Depois era derreter uma barra de chocolate amargo com uma caixeta de creme de leite, rechear as tortinhas já frias, colocar alguma gracinha no topo (nesse caso coco ralado e torradinho), e por que não salpicar de leve flor do sal que casa tão lindo com chocolate, não é mesmo?

Só no dia seguinte que fui lembrar que foi travessura da Faby lááááááááá no Rainhas do Lar.

pacoca2

Infalível, delicinha, pá-pum.

Espetinhos delirantes

15 de julho de 2013 § 9 Comentários

Espetinho caprese

Okay, nenhuma novidade na junção queijo, tomatinho sweet e manjericão num espetinho, mas experimente passar papel filme e levar ao congelador por 30 minutos, e salpicar flor de sal na hora de servir. Depois a gente conversa! =)

Estes foram feitos pelos meus alunos da turma#3 de Festinha Pá-Pum da Pequena Escola de Culinária da Katita.

Pimba na gorduchinha!

17 de junho de 2013 § 5 Comentários

copa&cozinha_xisto_ok

Tem rolado muitos pedidos de aulas para mães e filhos na Pequena Escola de Culinária da Katita. Tipo, mães que querem envolver os filhos na construção de lanches mais saudáveis e enriquecerem os seus acervos de lancheira escolar. Só que na minha cozinha fica inviável pelo tamanho, já que a minha capacidade máxima é de 5 alunos, considerando uma boa circulação entre mesa, bancada, pia, fogão, geladeira, lixeiras e corações festivos.

Mas acontece que eu fui convidada para participar do projeto Cultura em Campo, da SECULT/BA, com duas ações voltadas para os pais das crianças que as levarem para a programação matinal infantil, que já está rolando aos sábados e domingos no Espaço Xisto Bahia, no Complexo Cultural dos Barris.

Não sou nutricionista, mas sou cozinheira e mãe de um guri que também está dando trabalho para comer. Dai que vou levar várias sugestões de lanches para esse bate-papo, enquanto preparamos juntos um dos ítens do nosso café da manhã. Isso no sábado, enquanto os guris se divertem na oficina de instrumentos musicais do delicioso grupo Canela Fina. Já no domingo, tem repeteco do bate-papo e lanche no formato piquenique durante a oficina de desenho e contação de histórias dos erês.

Free para os primeiros 50 pais e mães! Espero vocês para esse momento lúdico e, o que é melhor, presencial.

escolinha
(Clique aqui para ver o último álbum de fotos da Escolinha, feito pela fotógrafa Mariana Gadelha, na turma#1 de Quiches, saladas e terrines!)

E por falar em Escolinha, vai muito bem, obrigada! Tem álbuns de fotos bem bacanas feitos pelas fotógrafas Mariana Gadelha e Karina Muniz, e agenda. Se quiser acompanhar o meu movimento, curta a fanpage e escolha “obter notificações” no mesmo botão. Vem!

Mas o conteúdo, os delírios, as reminiscências, e as receitas, continuam aqui.

Onde estou?

Você está navegando atualmente a A Pequena Escola de Culinária da Katita categoria em .

%d blogueiros gostam disto: