Torta de queijo com calda de frutas vermelhas a la Morchon

9 de maio de 2013 § 32 Comentários

torta_queijo
(foto linda: Karina Muniz)

Esta eu aprendi com o meu chef Jose Morchon da Taperia, e imediatamente se tornou a minha sobremesa preferida do momento. Não vou mentir que parte desta preferência devo atribuir à sua praticidade, porque trata-se de uma sobremesa em que você mistura tudo numa tigela que vai para o forno e depois cobre com uma calda que faz brincando em poucos minutos. E no final, o resultado é impressionante, tanto visualmente, quanto no sabor. Fiz nesta última terça aqui em casa na aula de Mignon da Pequena Escola de Culinária da Katita, e ouvi um lindo uníssono de um prolongado “huuuummmmmmmmm”, de olhos fechados, que foram um dengo na minha vaidade.

Para 6 pessoas, tome uma tigela que possa ir ao forno e coloque ali dentro: 2 caixinhas de creamcheese + 1/2 copo de requeijão cremoso + 150g de parmesão ralado grosso na hora ou gouda em lascas (se quiser um toque de sal, o primeiro; se quiser manter o adocicado da coisa, o segundo), 2 ovos inteiros, 1/2 caixeta de leite condensado, 1/2 caixeta de creme de leite. Bata tudo com a ajuda de um mixer, e quando estiver homogêneo, some raspas de duas tangerinas (isso já é pitaco meu), misture com uma colher, e leve ao forno médio pré-aquecido por coisa de 20 a 30 minutos, até dourar a superfície e endurecer um pouco. Ele deve parecer molinho, mas não líquido. Está bom assim, pois vai terminar de firmar na geladeira.

Enquanto a torta está no forno, vamos à calda. Compre 200g de berries desidratadas. Aqui em Salvador você encontra a granel na CEASINHA, na Perini, em lojas de produtos naturais, ou na Nação Verde Canela, que abriu aqui perto de casa. Coloque duas xícaras de açúcar + 1/3 de xícara de água e leve ao lume baixo, mexendo, para caramelizar; quando estiver em ponto ralo de fio, some as berries, algumas vagens de cardamomo (eu dou uma porradinha nelas para ficarem entreabertas), 1 pau de canela, 1 estrela de anis, 4 cravinhos, e mais um pitaco meu: uma pingada de flor de laranjeira; se eu tivesse cointreau, também pingaria. É que eu sou uma pessoa cítrica, sim? Vai mexendo, deixa evaporar o álcool, se utilizar álcool, e a calda vai reduzir e encorpar. Se quiser mais rala, vá somando mais água; se quiser grossa estará okay. Resolva essa parte.

O ideal é que a torta repouse por umas 4 horas na geladeira; a calda não precisa, necessariamente, refrigerar. Na hora de servir, tome uma colherada da tigela em formato meia-lua (vá girando um pouco a colher para esse formato) ou então tire uma colherada e com a ajuda de outra colher faça aquele formato de croquetes, bolinhos de arroz, sabe como? Agora deite num prato, cubra com uma colher generosa de calda, enfeite com um raminho de alecrim, e ARRASE, porque não tem jeito de não arrasar com essa sobremesa super simples e super glam.

Obrigada, Jose! E desculpe os meus pitacos, tá? Eu precisava que ela também fosse minha de alguma forma! Sei que entenderá, chef! =)

§ 32 Respostas para Torta de queijo com calda de frutas vermelhas a la Morchon

  • Priscila disse:

    Eu e minha ignorância….o q seriam duas caixinhas de cream cheese? Duas caixinhas de philadelfia por exemplo? É q é chiqueza demais…aqui em casa frequentemente só entra o bom e velho requeijão…kkkkk mas a sobremesa tá com uma cara……ui delicia p agradar a família num belo almoço de domingo!

    Curtir

  • Mayana João disse:

    fiz com calda de cupuaçu e ficou tipo a sobremesa mais deliciosa e elogiada ever! valeu pela receita! que deus te abençoe eternamente =)

    Curtir

  • Obdúlia Belmonte disse:

    Katia,

    amei a receita, adoro tudo que leva queijo, fiquei com uma dúvida – não precisa untar a vasilha? Beijo. Boa semana.

    Curtir

  • Dricka disse:

    Affe Katita, faça isso comigo não!!!
    Pense numa criatura que vende um dos irmãos por um pedacinho de bolo de queijo, agora por uma sobremesa dessas acho que venderia um e daria os outros dois de brinde!
    Bjs
    P.s.: ainda bem que eles não leem blog de comida, ou estaria lascada.rsrsrsrs

    Curtir

  • Evelyn disse:

    Queijo docinho… adoro queijos docinhos! Ou docinhos de queijo… hmmm…

    Deve ficar divino com calda de goiaba né? [blueberries desidratadas por aqui são dificeis de achar :(]

    Curtir

  • Karla Maria disse:

    Essa dica foi pra mim e isso foi “transmimento de pensassão”, pois comprei 300 g de blueberry desidratada ontem. Será minha sobremesa no domingo.
    Beijo, minha flor.

    Curtir

  • Sabrina Abreu disse:

    oi katita, tdo bem? te persigo ha tempos, desde o rainhas e comento mto pouco, sou mais de observar. mas nao pude ficar omissa dessa vez, por um motivo: preciso me defender!!!
    enquanto moradora de cidade do interior (interior do estado do rio, rio bonito, pra ficar melhor localizado) e com apenas 4 “supermercados” na cidade, nao ha por aqui essas tais berries desidratadas!!!! no maximo, umas amorinhas daquelas magrinhas, qdo da epoca certa…
    as vezes encontramos polpas congeladas, em alguns desses mercados… entao fica minha pergunta: posso usar o bom e velho “strawberry” fresco ou congelado pra fazer essa receita?
    um beijo gostoso, linda!! e desculpe o desabafo! rsrrsrs
    sabrina abreu

    Curtir

    • Katita disse:

      KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK! Adorei o desabafo, Sabrina!
      Amô, não só pode usar as frutas frescas, como pode simplificar derretendo uma excelente geléia de frutas com um tantinho de água no banho-maria.
      Vai dar tudo certo!
      =)
      Beijo enorme,
      K.

      Curtir

      • Pati Sato disse:

        Oie, amei essa dica, vai ser assim que vou fazer a sobremesa dos dias das mães, vou receber mamy em casa para uma almoço, todo a La Katita, a pergunta é, K, se eu usar a geléia de frutas, por exemplo eu posso usar aquela da casa da madeira de Cabernet??? Ela vai ter que dar aquele ponto de fio? beijos
        Pati

        Curtir

      • Katita disse:

        Oi, amor. Fico feliz em estar presente no almoço da mamãe!
        Sim, você pode derreter a geléia em banho-mario e vai obter, no caso desta geléia em específico, uma calda lisa, imagino que tipo aquelas da cereja ao maraschino, sabe? É que esta geléia parece um pouco uma gelatina. É gostosa, embora não tenha sabor de Cabernet, e eu não goste dessa consistência. Gosto de ver pedacinho de fruta, sabe como? Morder frutinha? Isso não vai rolar com essa geléia. Melhor você comprar uma bem roots, bem artesanal, ou pelo menos a Queensberry.
        Beijo!
        K.

        Curtir

  • telma disse:

    Delícia Katita. Fui na Taperia a mais ou menos um mês atrás e adorei o restaurante, ótima indicação do seu blog, a comida e o atendimento excelentes. Vou fazer essa sobremesa. bjs

    Curtir

  • Karina Muniz disse:



    (silêncio absoluto)

    Foi assim que fiquei quando comi essa beldade da Katita.
    Gente, essa sobremesa é babado!!!!!

    Curtir

  • Dri disse:

    Salivei aqui… deu até dor na mandíbula kkkkkkk

    Curtir

  • Cida disse:

    Hummmmmm!!! Com certeza essa vai ser a nossa sobremesa de Dia das Mães! Vão gemer sem sentir dor, não é Katita?
    Obrigada e super beijo,
    Cida

    Curtir

  • Carla disse:

    Katita florzinha, vc acha que se eu fizer uma base de biscoito moído com manteiga (a de cheesecake) e deitar a massa de cream cheese por cima pra assar no tempo que vc indica na receita vai dar certo? Beijinhos!
    Ca (RJ)

    Curtir

    • Katita disse:

      Acho que não, Carlinha. É que essa massa é mais mole, tem ovo e tal… a de cheesecake é mais encorpada. Acho mega arriscado. =/
      Beijo,
      K.

      Curtir

      • Carla disse:

        Beleza, Katita, ainda bem que vc me alertou (e eu perguntei antes ho ho ho ho). Para o Dia das Mães, vou fazer aquele cheesecake que não vai ao forno. Essa torta de queijo é a próxima da fila. nhaaaam. Mil beijinhos e obrigada pelo alerta!

        Curtir

      • Katita disse:

        Aquela cheesecake também é deliciosa e super simples! =)
        Beijo, querida.
        K.

        Curtir

  • Carla disse:

    Queijo+berries = delicia sempre
    Eu tambem sou citrica, Katita. Ate porque nao ha nada como uma raspinha de limao aqui e ali pra acentuar o sabor das coisas. Eu, que moro no mundo das berries, aprendi cedo que uma raspinha de limao amarelo ou laranja em qualquer calda de berry enriquece o sabor da fruta imensamente.

    Curtir

  • Bode disse:

    Essa torta tá mais facil que eu, hein? Acho que até eu que não sei fazer nem brigadeiro faria essa….

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O que é isso?

Você está lendo no momento Torta de queijo com calda de frutas vermelhas a la Morchon no .

Meta

%d blogueiros gostam disto: