Chocolate do dia: Domori

7 de agosto de 2012 § 9 Comentários

Os chocolates da marca italiana Domori, por incrível que pareça, não me impressionaram muito neste primeiro momento, o que deve provar a minha total ignorância no quesito chocolate, uma vez que a empresa detém desde 2003 o título de melhor dark chocolat single origin pelo Salon du Chocolat.

Além das barras que eu provei, feitas com 70% de cacau fino do Equador, Colômbia e Peru, e 70% de cacau criollo de Cannoabo e Chuao, a marca oferece um amplo leque de produtos absurdos como os tradicionais e italianíssimos giandujotti (chocolate com avelã) também em versão creme de giandujo, tutti-frutti cobertos com chocolate fino, sachês de chocolate quente, latas especiais, além de produtos como livros e até tablete especial que vem com faca específica para cortar o chocolate. Mas o fato é que, por algum motivo, eles não acessaram o meu coração. Fazer o quê? Quem sabe o creme de giandujo (minha mais nova obsessão) me faça engolir uma possível heresia.

O meu problema com estes chocolates deve ter começado desde o primeiro sentido que eu acionei: o olfato. Todos me remeteram a… tabaco. E eu não gosto de tabaco. E não teve jeito de desmanchar essa associação até o final da degustação, mesmo depois de ler as notas de fruta, flores ou caramelo a eles atribuídas pelo fabricante, não as percebi. É óbvio que muito me falta ainda de informação e experiência para poder perceber essas características (se é que elas não sejam subjetivas, de algum expert que assim as percebeu), mas as sensações que eu tive, definitivamente, não batem com os sugestionamentos (vou chamar assim) dos rótulos.

O de Apurimac (Peru) feito com cacau fino, cremoso de grudar nos dentes, além do cheiro de tabaco, deu uma puxada na ponta da minha língua abrindo um gosto mentolado, que ficou bem localizado ali, enquanto o rótulo sugeria notas de flores e toffee, que eu juro, não encontrei.

O de Teyuna (Colômbia) foi o meu preferido; me pareceu ter mais leite, era mais delicado, adocicado e redondinho que deixou um retrogosto meio silvestre na minha boca. Mas depois, lendo o rótulo, eles associam a castanha de caju e mel. Sim, eu havia encontrado pelo menos o mel ali, percebi depois de ler.

No de Arriba (Equador) não identifiquei nenhum “acento”, permancendo o cheiro de tabaco e gosto amargo de cacau do bom.

Os de Chuao e de Canoabo (Venezuela), feitos com cacau criollo, além do cheiro de tabaco, e da textura que grudavam nos meus dentes, deixaram um salgadinho de manteiga em algum lugar da minha boca.

Uma coisa é certa, porém, são os mais persistentes de todos os que experimentei até agora. O gosto gruda na boca e não sai nunca mais. São bastante selvagens também, como se preservassem bastante as propriedades do fruto e até da cultura local, ó que doido, não me perguntem como é isso, mas esta sensação talvez esteja relacionada à história super interessante do fundador da Domori, Gianluca Franzoni, um jovem negociante na época com 27 anos, recém-formado em Econommia que se jogou para a Venezuela como vendedor de purificador de água, descobriu o cacau criollo, pirou o cabeção, se apaixonou pelo fruto, comprou a causa da preservação das florestas de cultivo, abriu um restaurante e dedicou parte dele para realizar experiências de chocolate em laboratórios rudimentares. A coisa cresceu, ele sentiu a necessidade de normatizar o negócio, e valendo-se da sua formação em Economia e da sua experiência em negócios, investiu na estruturação do que veio a se tornar a Domori, uma indústria de cacau fino e sustentável, com uma bela plantação na Venezuela, tida como referência mundial de cultivo sustentável de um cacau excelente, com fábrica de chocolates em Turin. Não encontrei informações sobre a idade da empresa, mas a julgar pela aparência do fundador, deve ser uma jovem empresa.

Você acabou de acompanhar o capítulo #9 de Cabruca, uma novela de chocolate, no seu canal Pitéu.

Gianluca Franzoni, o gato, digo, o homem por trás do chocolate Domori.

§ 9 Respostas para Chocolate do dia: Domori

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O que é isso?

Você está lendo no momento Chocolate do dia: Domori no Pitéu.

Meta

%d blogueiros gostam disto: