Quibe assado de salmão e kani kama

12 de junho de 2012 § 14 Comentários

Tão sentindo que tá puxado forte do lado de cá, né? Então… tipo assim, mil coisas, mas saudade roxa sempre daqui, que fique claro. Ando pela rua lembrando d’ocês e fotografando coisas ótimas que algum dia viram post aqui.

Aproveitando uma oferta relâmpago de salmão, dei uma estocada aqui e tô para ter uma overdose. Andei inventando umas coisas com esse peixão escândalo, entre elas, este tal quibe de salmão que abalou Piatã em chamas último sábado, quando cozinhei em casa da minha família adotiva em homenagem a Olga Maria, minha cunhadinha forever, que acaba de lançar a pequena Angelina ao mundo. Um troço de menina!

Ai, gente, eu sei que tem gente que fica pra morrer quando eu escrevo esta palavra, mas esta receita foi totalmente intuitiva, o que significa que não rola medidas exatas de nada. Aliás, tem alguma receita minha que rola medidas exatas? Olha aí, prova de que existem muitas cozinheiras que embarcam nesta proposta intuitiva, sensitiva, de feiticeira.

Tomei uma tigela e coloquei coisa de 500g de salmão daquele que eu faço no vapor (salpico sal e pimenta do reino moida na hora, um fio de azeite sobre os filés e levo ao forno só para tomar uma barrunfada de leve e soltar fácil da pele) desfiadinho, e 200g de kani kama picado; ralei a casca de uma tangerina (sem a parte branca), depois espremi o suco sobre o salmão; somei um cheirinho só de gengibre ralado, 1/2 cebola roxa também ralada, um ovo peneirado, um ‘cadim de iogurte natural (coisa de 3 colheres de sopa), um punhado ENOOOOOOORME de salsinha fresca picada, e 2 xícaras de chá rasas de couscous marroquino cozido de acordo com as orientações da embalagem. É a ponta dos dedos que vai dizer se precisa de mais iogurte ou azeite (o ideal é que fique úmido e macio), quiçá mais couscous; é a ponta da língua que vai dizer se precisa acertar o sal.

No refratário untado com azeite de oliva, deitei metade da massa, no meio 1 copo de requeijão cremoso Danubio light, e cobri com o resto da massa, ajeitando a superfície com um garfo (essa parte é boa para brincar de grafismos).

Leve ao forno médio pré-aquecido por algo em torno de 5 a 10 minutos (lembre-se que tanto o salmão quanto o couscous já foram rapidamente cozidos).

Fica incrível, anota aí. Sentiu que dá para fazer miséria com a idéia do quibe?

Como foi um esquema festival de quibe e salada, na sequência rola o convencional com coalhada seca, segura o tchan.

Andiemo!

§ 14 Respostas para Quibe assado de salmão e kani kama

  • Dani P9 disse:

    Tava MARA!!!!!!!

    Curtir

  • Karina disse:

    Nossa, que arraso,isso deve ficar muito bom.
    Por falar em nisso, vi um chef na tv dia desses falando que não se deve utlizar limão para temperar salmão porque o deixa amargo. Vc sabe se procede essa informação?
    Bjs

    Curtir

    • Katita disse:

      Karina, você é a segunda pessoa que comenta isso aqui e houve também um comentário no FB da Cozinha Finna sobre isso. Bom, eu não dispenso minhas gotas ou raspas de limão em nenhum peixe, acho necessário para o MEU paladar, especialmente o salmão, por ser meio “adocicado”; preciso deste contraste. Mas uma coisa é certa: há de se ter parcimônia e mão leve. Falo de GOTAS de limão e RASPINHAS.
      =)
      Beijo,
      K.

      P.S.: Os chefs também tem suas preferências que nem sempre podem corresponder às suas. A verdade sobre o seu paladar é sua.

      Curtir

  • Viviane disse:

    Querida Katita,
    Adorei a receita, super saudável e linda! Vou tentar fazer também!
    Se possível, eu gostaria de uma opinião profissional de cozinheira de mão cheia hehe: quero comprar um processador potente, mas estou em dúvida de quais valem a pena. Você indica algum?
    Se preferir, pode enviar a resposta por e-mail…
    Parabéns por manter este Blog tão inspirador!

    Curtir

    • Katita disse:

      Flor, eu tenho usado um basicão que me atende, que é um Philips Wallita massa. Fora esses mais convencionais, só experimentei os industriais. Ajudei muito não, né?
      =)
      Beijo enorme,
      K.

      Curtir

  • Vera disse:

    Abalou Paris em chamas também! Adorei!! Será que fica bom com trigo de quibe, o chamado bulgur?

    Curtir

  • Erica disse:

    Katita, seguindo a linha “inovações”, outro dia fiz um kibe cru de salmão. Usei o trigo de kibe mesmo, mas com salmão cru. Dei uma processada + temperos e ficou sensacional! Ainda rolou um molhinho pesto meio “avacalhado” de hortelã, alho, azeite e castanha do pará. Recomendo, viu?
    Bjs,
    Erica (“a do tanque”!)

    Curtir

  • nivia disse:

    oi,
    O que é cuscus marroquino? São os grãos de kibe?

    Curtir

    • Katita disse:

      Não Nívia, os grãos de kibe são trigo para quibe. Escrevi sobre o couscous marroquino dias desses aqui. Jogue “couscous” na busca aqui do Pitéu, que você cai no post!
      Abraços,
      K.

      Curtir

  • Izabel disse:

    A cara desse prato tá o “ó”, vou copiar. Abç
    Izabel

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O que é isso?

Você está lendo no momento Quibe assado de salmão e kani kama no .

Meta

%d blogueiros gostam disto: