Choquei no supermercado

19 de maio de 2012 § 36 Comentários

Gente, o que leva alguém a comprar batata cozida em caixa, “100% natural, que dispensa refrigeração, e não possui conservantes”? Como assim natural, sem conservante, que dispensa refrigeração? Alguém me explica como é isso?

Gente, o que leva alguém a comprar frango desfiado em caixa, “100% natural, que dispensa refrigeração, e não possui conservantes”? Como assim natural, sem conservante, que dispensa refrigeração? Alguém me explica como é isso?


Gente, o que leva alguém a comprar sachê de molho de tomate à bolonhesa? Já pensou que aquilo é carne? Já pensou o tanto de veneno que deve ter ali dentro para conservar essa carne?

Porque, assim, eu sou do tempo que essas coisas eram naturais e perecíveis.

Meeeeeeeeeeeeeeeeedo! Ô gente, vamo’ pensar um pouquinho no que a gente joga pra dentro? Que você não goste e não queria cozinhar, tá no seu direito, não é obrigada, mas não precisa se matar, né?

§ 36 Respostas para Choquei no supermercado

  • Helena disse:

    Ai, Katita, maldade! Amo cozinhar, meu lugar preferido de casa não poderia ser outro que não a cozinha. Mas sou engenheira de alimentos de formação, e sei que existem pessoas que não gostam, não querem, que preferem (sei lá!) não ter trabalho quando chega o final de semana. Essas são as consumidoras das batatinhas e do franguinho desfiado em caixinha. No caso dos dois produtos, o segredo é o vácuo, que impede que o produto estrague (mas justamente por causa disso, sempre que você vai comprar uma caixinha dessas, tem que ficar de olho pra ver se não tem um furinho que possa ter acabado com o vácuo…). Mas concordo com você, nada melhor que cozinhar sua própria comida!

    Curtir

    • Katita disse:

      Helena, flor, nada contra não querer cozinhar, mas existem outras alternativas que não atentam contra a própria saúde, né? Uma coisa é não querer/ gostar de cozinhar, outra coisa é suicício, né não?
      =)

      Curtir

  • Isabel disse:

    Katita, estou beirando os 55 anos, há 31 sou casada, sempre trabalhei… tenho 04 filhos… nunca deixei de fazer comida saudável para nós… faço o jantar e deixo para o almoço… só não cozinho na sexta-feira, porque ninguem é de ferro… Minha filha se casou há um mes…. chega muito tarde em casa… o que fizemos no final de semana ? comidinha pra semana toda, congelamos….é assim habitos saúdaveis… geram famílias saúdaveis… simples e olha temos apenas a diarista, eu duas vezes por semana e ela duas vezes por mes….

    Curtir

  • E na rede Hortifrutti daqui do ES (não sei se no Brasil todo) que vendem umas bandejinhas de saladas, com uma folha de alface roxa, 1 de crespa, cenoura ralada,uma bolinha de queijo de bufala por “módicos” 6 realidades?? E pior, outro dia vi uma nega do meu lado comprando umas 5 bandejas,olhou no branco do meu olho e falou assim : vou comprar um monte logo pq é saudavel e eu tenho muita preguiça de lavar alface. Me deu uma tristezinha. Ela ia gastar uns 30,00 em bandeja de salada, e um pé de alface estava R$ 0,59.

    Curtir

  • Debora Melo disse:

    Olha, batata na caixa é uma das coisas mais medonhas que eu já vi industrializadas! Virgem santa, quanto tempo se gasta cozinhando uma batata? E essas carninhas embalsamadas também… o resultado desse tanto de porcaria enlatada “sem conservante” é este aumento drástico dos casos de cancer por todo o mundo!

    Curtir

  • CM disse:

    É engraçado como aqui na Europa já passamos por esta fase e vamos em sentido contrário: consideramos “chic bém” fazer refeições em casa, com produtos frescos e biológicos… cada vez mais damos valor “ao familiar que envia produtos hortículas do interior”.É moda pagar aulas de culinária, blogs como este verdadeiro “pitéu” 🙂 Acho que é um trajecto natural: erramos na perspectiva consumista para depois percebemos que íamos no caminho errado. E querem saber??? Eu gosto é disso mesmo!!!! Quais caixinhas e semi-pronto…

    https://www.facebook.com/pages/Copo-de-Salto-Alto/332846613432257

    Curtir

  • Leni disse:

    Katita !!! esse post rendeu…adorei o debate pois deu pra ver que a maioria das pessoas que deram opinião preferem comida saudável, isso quer dizer que nem tudo está perdido, somos a maioria!!! somos a maioria!!! rsrs
    Eu evito o máximo comprar comida pronta, nem passo perto do corredor de caixinhas congeladas no mercado, prefiro fazer um omelete e comer com uma salada pelo menos sei o que estou comendo, tento comprar alimentos orgânicos como tbem foi citado mais ainda temos uma grande dificuldade aqui em São Paulo, apesar de ser um grande centro e ter variedade de orgânicos os preços ainda são meio salgados e nem sempre cabe no bolso.
    Outra coisa que vc disse e eu concordo plenamente é que dá pra fazer uma comidinha saudável em 15 min sem precisar botar pra dentro essas porcarias todas.

    Beijo
    Leni

    Curtir

  • Eu adoroooooo atum, mais tenho desistido das latinhas depois de observar a validade de uma…2014…Como assim peixe válido até 2014????
    Bjuss!!!
    jujuvoavoa.blogspot.com

    Curtir

  • Katita,
    Tenho duas opiniões distintas pro fenômeno das comidas prontas esquisitas:
    1- Hoje em dia parece que é bonito as meninas não saberem cozinhar. Eu tenho 30 e minhas amigas me acham meio louca/hippie/exótica por fazer pão, geléia, essas coisas. E tenho ouvido das que estão na caixa dos 20 que mal sabem fazer um arroz cheias de orgulho. Ranço feminista na minha opinião.
    2- Vejo hoje no Brasil uma classe econômica baixa ascendendo e considerando chic comprar comida em caixinha, em bandejinha, semi pronto, congelado. Coisas que numa visão deturpada demonstrariam maior poder aquisitivo. Pois fazer feira e cozinhar sua comida com ingredientes frescos ainda é muito mais barato.

    Enfim, triste e uma tendencia nada saudável. Eu remo contra a corrente.

    Curtir

  • Tania disse:

    Minha mae sempre trabalhou fora, mas nunca deixou de cozinhar comidas frequinhas para nos, portanto, nao compro esses trecos por pura questao de habito e costume. O triste eh que tem muita crianca comendo isso.

    Curtir

  • Ana Carpa disse:

    Verdade Katita, eu é que não ouso comprar essas coisas, principalmente depois que fiquei doente. A médica pediu que eu me alimentasse de preferência em casa e se possível com comidas saudáveis, portanto essas coisas que vc mostrou e outras armadilhas tantas, não entram aqui em casa. Bjs linda… Essa dica é muito importante… Valeu…

    Curtir

  • Carla (do Baianices) disse:

    Ah Katita, minha filha. Sao as maravilhas dos Istaites invadindo o Brasil. Enquanto aqui o povo ta lutando pra sair dessa, ai so esta comecando.
    Uma amiga minha tem uma visao bem positiva da coisa, ela diz que, como nos EUA, pra que o Brasil se livre da praga do trabalho domestico mal remunerado, da dependencia da mulher dentro de casa, servindo, eh preciso passar por essa fase, a fase das comidas de mentira. E se, no final, o resultado for a mulher ter a autonomia que tem aqui, entao ta beleza, a gente paga esse preco.
    Eu quero muito que ela esteja certa, viu? Porque o preco eh bem alto.

    Curtir

    • Katita disse:

      Ai, comadre, eu vou discordar da tua amiga, porque na minha cabeça:

      1- Não acredito que hoje em dia os reais motivos que prendam uma mulher na cozinha seja tempo para cozinhar. E ainda que fosse, dá para cozinhar em 30 minutos sem recorrer a esse lixo aí, e tem muita receitinha aqui no Pitéu e na rede que provam isso. Pra mim tem mais a ver com a preguiça que vem com a comodidade eletroeletrônica muito mais acessível para os americanos, GRAÇAS A DEUS! Aqui o buraco é mais embaixo e o povo em geral está mais acostumado a colocar a mão na massa, afinal, eu quero crer que a globalização não atinja, acredito eu, este nível de hibridização das massas todas, que acabe por anular as culturas distintas de cada civilização, transformando a todos em “americanos”. Eu quero meu sanguinho e preto e sofrido correndo nas veias que é para me lembrar que tenho força para mover o mundo, lavar os pratos, fazer comidinha, trabalhar, ser independente e feliz.

      2- Não aceito e nem acredito que “tenhamos que passar pela fase da comida de mentira” para resolver a questão do trabalho doméstico mal remunerado, que não se encerra apenas no preparo da comida, que pode, aliás, ser congelada ou entregue por um restaurante (só para citar duas possibilidades), se a pessoa não tem a capacidade de parar 15 minutos para fazer um espaguete, uma salada, uma omelete para si mesma ou para a sua família. As empregadas aqui de casa, por exemplo, nunca cozinharam. O problema do trabalho doméstico é o formato estabelecido. Nada que a Lei não pudesse resolver, se funcionasse.

      3- Não acredito (e nem quero) em liberdade e independência que negligenciem a vida doméstica. Minha casa é meu posto de combustível, minha igreja, minha toca de individualidade. Tudo éum equilíbrio na vida da pessoa!

      4- Tenho esperança de que o exemplo americano nos sirva de escudo, e tô colada nessa batalha.

      Curtir

      • Carla (do Baianices) disse:

        Ih, Katita. Eu ate entendo essa sua reacao, mas eu nao tava falando de globalizacao nao, viu? Nem de americanizacao. Foi apenas um paralelo do que rolou aqui e do que pode estar rolando ai. Dai a dizer que o Brasil vai fazer igual eh outra viagem. Ate porque, igual nao sai, ainda bem.
        Vale tambem lembrar que a comida pronta americana nasceu muito, muito antes da vida eletroeletronica. A mulher saiu pra ganhar a vida e a familia precisava comer, e como nao dava pra ter empregada, teve que se resolver de outra forma.
        Eh bom lembrar tambem que o povo americano nao nasceu comendo hot dog, antes disso eles comiam deliciosos ensopados, vegetais, frutas, pao feito em casa, igualzinho ao brasileiro. E, com a fe que eu tenho que a educacao move montanhas, essa proxima geracao ja vai ter descoberto as maravilhas da cozinha desde cedo.

        Curtir

      • Katita disse:

        Com fé em Deus, minha irmã!
        Se a gente começar a destrinchar esse negócio, sob todos pontos de vista, antes e depois de tecnologia e o diabo a quatro, a gente rende 3 dias e 3 noites aqui, mas que você trouxe um assunto interessantíssimo e super instigante para a cozinha, não resta dúvida! Tô aqui com as caspas virando mandiopan!

        Curtir

  • lili disse:

    Falta de tempo para cozinhar, nêga

    Curtir

  • Patrícia Dultra disse:

    Deus é mais!!! Que medo.

    Curtir

  • leticia disse:

    Katita, me ensina a fazer frango desfiado????? 🙂 prometo q se não for muuuuuito complicado nunca mais eu compro de caixinha! 🙂 desfio o frango no primeiro dia e já guardo em porções pequenas no freezer! 🙂

    Curtir

    • Katita disse:

      Meu amor, é tão simples! Faz assim: pega a receita do Peitinho Okay aqui do Pitéu, por exemplo, e tempere o peito do frango (que é a parte mais carnuda, que rende mais, e dá menos trabalho). Deixe no tempero por umas 4 horas ou se puder temperar de véspera, tanto melhor. Daí você cozinha o peito em caldo de legumes ou frango, ou assa o peitinho para ele ficar bem macio. Depois é unha, flor. É pegar aquela carne bem macia e desfiar beeeeeeeeeem fininho! Pronto, depois é só proceder como você falou, que eu acho ótimo: acondicionar em pequenos potinhos e congelar (dê uma olhada no post “Sim ao congelamento de apoio”).
      E aí? Vai encarar?
      =)

      Curtir

  • Fátima disse:

    Tudo bem, se não conseguimos achar legumes e verduras orgânicas a gente se enche de agrotóxicos… Mas comer estas porcariadas que eles inventam para “facilitar a vida”, é demais!!!
    O que mais eles irão inventar para enganar as pessoas que tem preguiça ou não tem tempo de ir para a cozinha…É um pecado fabricarem esses venenos para o consumidor.

    Bjs!!!!

    Curtir

  • Mari disse:

    kkkkk o povo ta pirando! aff, batata inteira cozida a vapor? nao entendi!

    Curtir

  • MARCIA-sp disse:

    POIS E KATITA,EU TBEM NAO SUPORTO ESSES PRODUTOS,NAO ACREDITO QUE NAO TENHA CONSERVANTES E TBEM NAO CONFIO EM NENHUM DELES.SINTO MUITO MINHA GENTE,ACHO QUE NOSSAS FAMILIAS ,MERECEM COMIDAS SAUDAVEIS FEITAS COM MUITO AMOR.

    Curtir

  • Kelli disse:

    Eu compro a carne seca empacotada á vacuo desta marca e AMO! de paixão…mas que me dá medo, confesso que dá.

    Curtir

  • maria disse:

    kkkkkkkkkk, é demais nao é? mesma coisa penso. Poxa cozinhar batata é tipo “batata”de tão facil.

    Curtir

  • Luciana Cordeiro disse:

    Bem, o q leva a pessoa a comprar isto só pode ser a preguiça…
    Sobre o “dispensar refrigeração” é pq deve ser embalado à vácuo, sem oxigênio não tem proliferação de microorganismos, mas também acho mt estranho. Já o molho à bolonhesa não tem explicação alguma assim como outros do mesmo tipo.

    Curtir

  • Juliana disse:

    Quem compraria? Pessoas que não gostam de cozinhar, não tem tempo e muito menos interesse em pensar em todos estes pontos que você pensou… Absurdo? Com certeza… eu jamais compraria, amo cozinhar e gosto das coisas bem naturais… nem molho pronto tradicional eu compro… mas tenho uma meia dúzia de amigas que se souberem, com certeza comprarão…

    Curtir

    • Katita disse:

      Eu compro vários industrializados, mas carne enlatada, encaixada, no sachê, é dose! O que me preocupa é exatamente essa falta de questionamento sobre o que pode estar por trás de toda essa “facilidade” e “praticidade”, sabe como Ju?

      Curtir

  • Fábio disse:

    Katita, acredito que deve ser o mesmo tipo de gente que compra escondidinho de carne moída da sadia, isso pq escondidinho é o trem mais fácil de fazer que existe.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O que é isso?

Você está lendo no momento Choquei no supermercado no .

Meta

%d blogueiros gostam disto: