Se você fosse uma flor do quintal da minha mãe…

13 de maio de 2012 § 33 Comentários

Eu recebi um e-mail onde uma mãe falava com orgulho sobre os sacrifícios, privações e anulações que se auto-impunha todos os dias pelo seu filho. Fiquei bem agoniada, porque assim, é natural que nos privemos de muitas coisas na condição de provedores dos nossos filhos, mas “sacrifício” é uma palavra muito forte, e “anulação de nós mesmas” deveria ser impronunciável. É muito peso, muita responsabilidade sobre os ombros dos nossos filhos, sentirem-se culpados lá na frente pela anulação de suas mães “tudo por eles”. Nossos filhos querem mães saudáveis, felizes e livres, deles inclusive, se é que me entendem. E mais do que pesado, é injusto, especialmente quando não são eles o verdadeiro motivo deste “auto-flagelo”. Infelizmente as campanhas comerciais e chorumelas dos programas de auditório só confirmam isso. Os filhos pertencem ao mundo! E quando eles forem embora? O que restará de nós? Deverão arrastar as correntes da nossa solidão, e tristeza e frustração? Isso é amor? Amar os nossos filhos não seria libertá-los?

Se dói? Não creio, depende do ponto de vista.

Mas felizmente, no dia seguinte, recebi outro e-mail da minha orientadora de TCC e hoje amiga, que dizia que “ser mãe é, entre tantas outras coisas, assegurar sentido a palavra humanidade, que vivida em família, se dirige como ondas de amor, respeito e solidariedade para todo o mundo.”

*suspiro*

Como é bom não estar só.

Mas voltando às flores do quintal da mamãe, qual você seria?

Um feliz e reflexivo dia das mães aos leitores do Pitéu.

§ 33 Respostas para Se você fosse uma flor do quintal da minha mãe…

  • Maria Lucia G. Campos disse:

    Katita querida, por falta de tempo só hoje estou pondo em dia minhas mensagens e indo aos meus blogs preferidos. Que voce e todas as suas assíduas seguidoras tenham tido um dia das Mães massa, como voce mesmo diz. Não sou mãe (um pouco por opção na vida profissional, um pouco por problemas de saude e muito por falta de vocação mesmo), e concordo com cada palavra sua sobre mães que se anulam em detrimento dos filhos??!! mas lendo a frase da sua orientadora de TCC senti imediatamente que todas nós de uma forma ou de outra somos mães, quando vivemos procurando ajudar nosso mundo a melhorar. Vou tomar a liberdade de copiar essa frase e colocar no meu mural para lê-la sempre. “ser mãe é, entre tantas outras coisas, assegurar sentido a palavra humanidade, que vivida em família, se dirige como ondas de amor, respeito e solidariedade para todo o mundo. Maravilha. Beijos.

    Curtir

  • Iroka disse:

    Katita, linda a sua mesg. Espero(se um dia eu for) ser uma mãe bem feliz e extremamente realizada com a cria na mesma onda. Quanto a flor, eu seria a ultima das imagens.Bjks!!

    Curtir

  • Zan Moraes disse:

    Oi Katita!!
    Concordo totalmente com seu texto, tenho um filho de 4 anos e quando ele tinha 2, voltei a estudar e mudar o rumo da minha carreira profissional, filhos devem ser criados p/ o mundo e tenho certeza que hoje, trabalhando e estudando sou uma mãe melhor p/ ele. Não aguento aquele papo der super mãe, somos todas passíveis de erros. Beijos.

    Curtir

  • Chá disse:

    Eu seria essa última florzinha ai, a laranja (parece um pequeno lírio). Não sou mãe, e passei esse dia das mães longe da minha (mas perto thanks to Skype ne?kkk).Beijo sua linda!

    Curtir

  • marilene bastos disse:

    Ah eu tb quero ser essa flor de acerola, amei, que quintal é esse heim? Bento deve adorar e qdo tiver a casa da arvore então…dá p mais uma criança aí? rsrs

    Curtir

  • Lígia disse:

    Não poderia concordar mais, Katita.
    É realmente triste que ainda existam mulheres que achem que só é possível ser mãe completamente com anulação completa. E pior: filhos que queiram mães completamente entregues e anuladas.
    Eu não! Quero a minha felizinha. Capaz e realizada. ISSO é amor.
    🙂

    Curtir

  • Izabel disse:

    Voltei para dizer que esse quintal deve ser tudo de bom, hein? já estou imaginando a casa da árvore… Ah! eu seria a “maria sem vergonha”. Simplesinha, discreta, meio sem graça à primeira vista, mas se deixar, toma conta do pedaço. rsrsrsrs Izabel

    Curtir

  • Izabel disse:

    Como a Ila, também optei por não ter filho. Tudo bem para quem quis ou quer ter, mas acho egoismo querer que os filhos sejam a extensão dos sonhos dos pais e, por consequência, também das frustrações. Afinal, amar é também respeitar a individualidade. (E o melhor sinal disso é gostar da guarda compartilhada. rsrsrs) Abç
    Izabel

    Curtir

  • Katita disse:

    Amadinhas, kêdi o chêrinho dí Chay? =)
    Obrigada!
    Beijo,
    K.

    Curtir

  • Selma Helena. disse:

    Uma boa reflexão, flor. Serviu de guia pra mim, acredite.
    Sobre as flores…bem, eu adoro a simplicidade do Hibísco e a alegria que eles conferem ao paisagismo. Mas a flor da acerola é poderosa demais. É linda, delicada e responsável por uma frutinha gostosa e super vitaminada.
    Mas eu seria a Hibísco mesmo. Doce, sem muita frescura para manutenção, atrente para beija-flores e abelhas, o que a torna super importante na polinização do jardim.
    Beijos, amada.
    Selma.

    Curtir

  • Isabel disse:

    Adorei seu texto, como sempre… Sou Mãe de 04 filhos, 03 já adultos e 01 adolescente… o que faço por eles, nunca foi e nunca será sacrificio algum, sem cobranças ou arrependimentos….como minha Mãe, que se foi a hum ano, fez por nós….Agora o quintal da sua mãe heim ? sou fã muito fã…

    Curtir

  • sgeliana disse:

    Eu queria ser a flor amarela! hahahaha

    Curtir

  • sgeliana disse:

    Feliz dia das mães! Tem gente que se apega à maternidade pra usar como desculpa ou por falta de coragem de ir a luta ou por puro comodismo mesmo. Vem com aquele discurso barato do “eu sou mãe” e bla bla bla…Desculpa aí, mas a mulher não tem que usar filho como escudo, não! Eu não tenho filhos, mas sou um pouco mãe quando zelo pelos meus sobrinhos, pelo meu marido, pelos meus amigos, pelos filhos das amigas que ficam comigo quando bate uma necessidade. Acho que toda mulher é meio mãe em várias ocasiões. E nestas dá pra entender muito bem as suas palavras neste texto! Apoiada!

    Curtir

  • Nara disse:

    Quanta coisa linda! Ai ai, só suspiros… mas compartilho aqui um momento diferente e muito doce. Ainda não sou mãe… mas um dia pretendo ser… mas o desejo ainda está apenas no interior, mesmo assim, de uma forma muito surpresa, recebi vários parabéns esse ano, de gente inclusive anonimata, como o padeiro, de feliz dia das futuras mamães… achei tão meigo…. Feliz dias para as poderosas rainhas mamães e em especial rpa vc Katita que nasceu pra ser mãe e amiga da gente, hehehhe.

    Curtir

  • Luciana Aguiar disse:

    Lindona, feliz dia das mães!!! Saúde pra vc e pro Bento!!!

    Curtir

  • Kátia disse:

    eu sempre tenho em mente quando bate a culpa por estar fazendo algo por mim que minha minhoca merece, acima de tudo, uma mãe feliz e legal. Talvez por isso ele seja um filho tão amado e feliz. Uma beijoca, xará, por mais um dos nossos dias.

    Curtir

  • Jacqueline Bezerra disse:

    Katita,
    Sou uma leitora silenciosa, te acompanho desde o Rainhas. Comento pela 1a vez, porque o texto me tocou muito… finalmente vejo alguém com a mesma visão, infelizmente muitas mãe fazem a maternidade parecer um fardo… Tenho 2 meninos (por causa deles resolvi cozinhar e te conheci), que só me trouxeram coisas boas e ser uma pessoa melhor.
    Feliz dias das mães para você!
    Bjs

    Curtir

  • Joy Cleave disse:

    Ka,

    Feliz Dia das maes pra vc e pra sua mamae!

    Adorei seu texto demais. Me fez pensar mto sabe? O que eu conheco de mulher que estava “louca pra ter filho” ai o teve e agora so reclama e joga toda as suas frustracoes em cima dele/s. Acho isso mto injusto sabe? Vc falou tudo, concordo 100%
    Quando a minha vez chegar, quero ser sensata assim como vc.

    Um beijao pra vc florzinha!

    ps. Feliz dia das Maes a todas as outras leitoras que sao mamaes tb!

    Curtir

  • Carol disse:

    ohhhhhh… seria a Maria sem vergonha… embora eu tenha alguma! (rsrsrs) AMEI – como sempre – o texto. Um feliz dia ara todas que aqui vêm!

    Curtir

  • Isa Cambará disse:

    Lili tocou num ponto fundamental: o quintal da casa de sua mãe! Todas as vezes em que leio algo sobre suas visitas a ela, penso que gostaria muito de conhecer esse lugar e a mãe dessa moça tão encantadora, a mãe do Bento! Quanto a ser mãe, eu, eu que sou mãe de 3 filhos adultos, concordo plenamente com você. E eu, que não tenho mais a minha – fisicamente – perto de mim, deixo para todas aqueles na mesma situação uma poesia linda da Elisa Lucinda em que, de um jeito meio irreverente e muito carinhoso, fala dessa perda física (porque, de fato,mães continuam sempre junto aos filhos, que independentemente da idade são orfãos, como já disse, em outra poesia linda, Adélia Prado):

    Incompreensão dos mistérios

    Saudades de minha mãe.
    Sua morte faz um ano e um fato
    Essa coisa fez
    eu brigar pela primeira vez
    com a natureza das coisas:
    que desperdício, que descuido
    que burrice de Deus!
    Não de ela perder a vida
    mas a vida de perdê-la.
    Olho pra ela e seu retrato.
    Nesse dia, Deus deu uma saidinha
    e o vice era fraco.

    Curtir

  • Rachel Chamusca disse:

    Puxa! tá difícil! Eu me encanto pela leveza despretensiosa das marias sem vergonha (a branquinha da 1ª foto), me derreto pela alegre simplicidade da florzinha da 2ª foto, mas, me enxergo completamente na doçura verde e rosa dessa orquídea da 4ª foto. Sou louca pra conhecer esse paraíso da mamãe! E voce, amiga linda, é uma mãe positiva nutritiva de verdade! rsrs
    ps. ontem assisti o filme “As idades do amor” e lembrei de voce pois é nossa cara!

    Curtir

    • Katita disse:

      Amiga, esta “mini-orquídea”, que também é a minha preferida, acredite, é a flor do pé de acerola, que logo vou postar.
      Não consigo entender como é que você nunca veio aqui. Vamos organizar esse baba rápido!
      Mais beijo de amor,
      K.

      Curtir

  • Ila Fox disse:

    Embora eu não seja mãe, e nem tenha planos de ser. Eu, como filha concordo com tudo que disse! já li de muitas mães (não da minha, ufa!) sobre este lance de sacrifícios e perda da identidade. Pior é que muitas ainda tem a cara de pau de exigir um retorno pelo “investimento emocional” no futuro. Como se filho fosse garantia de alguma coisa…

    E um feliz dia das mães para as todas as mães que não carregam a maternidade como um peso nas costas, que são livres e felizes!

    Curtir

    • Katita disse:

      Ila, você tocou em outro ponto importantíssimo: o direito de não querer ser mãe e ponto. Sabe que tem mulher que tem medo de dizer isso e correr o risco de ser atirada à fogueira como herege, né? Pode um negócio desses?

      Curtir

  • Thaisa Rabelo disse:

    K,
    Todos os dias, qnd venho te fazer uma visita, confirma-se algo dentro de mim: SOU SUA FÃ! Eu poderia dizer exatamente isso sobre a relação mães/filhos, porém não teria tanta bossa. Foi isso que mamãe fez, é isso que todas as mamães mais ‘phodas’, ‘phinas’ e ‘phelizes’ que eu conheço fazem e pensam e é assim que eu quero ser qnd tiver um filhotinho. E aproveitando o dia, vcs merecem um dia das mamães DIVINO e PREFEITO!

    Sobre a flor, eu seria com toda certeza um Hibisco! Aii como eu morro de amores por eles.

    Curtir

  • lili disse:

    Bom dia. também fico arrepiada quando alguém escreve sacrifício e mãe na mesma frase. Eu queria muito morar no jardim da sua mãe

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O que é isso?

Você está lendo no momento Se você fosse uma flor do quintal da minha mãe… no Pitéu.

Meta

%d blogueiros gostam disto: