Serviço de casa não acaba nunca

8 de maio de 2012 § 75 Comentários

Todo dia ela faz tudo sempre igual. Acorda às 6h e começa limpando a área de serviço do totó, lavando seu comedouro, e dando de comer para o bichinho que é para ele não acordar os vizinhos antes dos seus despertadores. Na volta, já para na cozinha e coloca a cafeteira para funcionar enquanto põe a mesa e prepara o café da manhã e o lanche do guri (Esse menino precisa comer uma banana, uma raiz, um mingau, uma coisa!). Na sequência, se apega com o Divino e parte para o quarto do filho coberta pelo manto sagrado de paciência da Virgem para acordá-lo. Durante os 15 minutos em que ele resmunga e esperneia até finalmente acordar para vida, ela prepara o banho e a roupa, a mochila, e arruma a bolsa com o que vai precisar, já que depois que o despachar na escola, tem um bando de coisa para resolver.

Às 7h50 eles saem atrasados deixando a louça na mesa e os pratos por lavar. É um horário ingrato no trânsito, e ela já sabe que quanto mais tarde chegar na sua aula de pilates, mais curta a sua manhã vai ficar, afinal, daqui a pouco, às 11h40 no máximo, ela já tem que enfrentar o trânsito de novo para pegar o guri de volta na escola. São 3h para fazer o pilates, deixar o sapato no sapateiro, fazer aquele pagamento na lotérica, voltar para a casa, fazer as camas, dar uma varrida básica, passar um pano básico, dar um grau básico no banheiro, zerar a cozinha e adiantar o almoço.

Sai voando, pega trânsito de novo, cobre-se com o manto sagrado da Virgem para conseguir tirar o moleque da escola (depois de liberados eles querem brincar como se não houvesse amanhã, e ela louca pensando no trânsito, no almoço para terminar e no monte de trabalho que tem quando sentar no notebook bem na hora do sono que dá depois do almoço). Cata o guri, pega trânsito de novo, ele “precisa” pegar Star Wars IV pela 50ª vez e ela desvia do caminho de casa. Chegam depois das 12h30, ela tenta convencê-lo a ir para o banho imediatamente, mas ele só vai quando a mesa está posta “enquanto a comida esfria”. Volta para a cozinha para finalizar o almoço e colocar a mesa, enquanto, ao mesmo tempo, aproveita para esvaziar o varal e colocar os lençóis na máquina. Percebe que o sol está lindo para colocar os tapetes na varanda e chegando lá vê que o totó fez coco onde não devia.

(Escrevi a palavra “trânsito” 5 vezes nos últimos 2 parágrafos, por que será? Não quero falar sobre isso)

Serve o almoço às 13h30 e adia a lavagem dos pratos. Cai na cama para um cochilo de 20 minutos antes de mergulhar no trabalho, tem até medo de abrir a caixa de mensagens e ela estourar diante de si. Levanta relativamente revigorada e tenta trabalhar, se concentrar, mas como isso é possível com um guri leonino de quase 7 que precisa de platéia e atenção? Faz o que pode, e vai alternando o PC com a pia, com a lista de compras, com a roupa da máquina pronta para ir para o varal, com o interfone, a moça da Dengue, o diabo a quatro. Percebe que a limpeza das portas e janelas se faz urgente e promete que vai dedicar o sábado inteiro ao faxinão do amor, daqueles de colocar a casa toda de pernas para o ar, mas para isso vai ter que fazer as compras antes, mas que dia? Tem médico, dentista, vacina do guri, tosa do cão, reunião com cliente, projeto para entregar, publieditorial para publicar, fila no DETRAN e tanta pendência que não escolheu, que tem até medo de listar na agenda, deprimir e não querer levantar da cama para nada no dia seguinte. Isso sem falar no cão de 14 e na mãe de 72, cada dia mais dependentes.

Mas não pode delirar muito não que já tá na hora de levar o guri para a natação. Na volta, passa na padoca e enquanto ele toma banho vai para a cozinha preparar a ceia (Esse menino precisa voltar a tomar sopa!). E dá de comer para o filho e para o totó. Às vezes tem lição da escola, e depois já é hora de desacelerar e baixar as luzes e volumes da casa para embalar a criança (Esse menino tá precisando de pijama!). É fazer a cama, contar uma história e depois que ele dormir, terá a grande chance de terminar o trabalho, ouvir uma música, ler um livro, tomar um copo de vinho. Isso, claro, quando não dorme antes dele.

Mas a nossa heroína doméstica não pode reclamar da vida… primeiro porque depois da máquina de lavar inventaram outra coisa genial chamada guarda partilhada, o que na prática, significa dois dias de solteirice por semana e fins de semana alternados, em que pode jogar tudo para cima, acordar mais tarde, estender o pilates, esticar para o Porto, mergulhar, improvisar o almoço com sobras na geladeira enquanto abre um vinho e põe uma música, assitir duas sessões seguidas de cinema, encontrar os amigos, fazer farra, ou simplesmente dormir, dormir, dormir, ler, ler, ler, jiboiar, jiboiar, jiboiar, dançar pra não dançar, ficar só e em silêncio, não fazer NADA, com a cama desfeita o fim de semana todo (já se foi o tempo em que ela não conseguia viver com a cama desfeita!).

Mas sorte grande mesmo (ou Providência Divina) é ter a oportunidade de alternar estas temporadas de dona de casa com as temporadas de trabalho insano lá fora, porque esta sagitariana não seguraria uma rotina destas ad infinitum não. Aliás, anotar na agenda: hora de contratar uma empregada, que o campo chama e a primeira temporada do Avental todo sujo de ovo 2012 acabou!

Remunerem as donas de casa!
Remunerem as donas de casa!
Remunerem as donas de casa!

Deu para sacar que eu tô com a macaca?

§ 75 Respostas para Serviço de casa não acaba nunca

  • Adoro sua relação de amor com a casa e com a vida.;0)
    Não sabia que vc tinha se separado, nega.

    Curtir

  • LiviaPalma(Piranhas-AL) disse:

    Tá com a macaca, fia? Acho que uns 20 anos atras eu ficava era com KingKong, kakakakakakakakakakakkakakakakakakkakakaakakkakaka!
    Qdo digo que vc consegue armar as rodilhas, carregar as latadas subir ladeira e ainda cantar e sorrir com seu frescor e perfume .
    .Sim! Voce tem um cheirinho tão peculiar- seu – que sinto daqui (será que é saudade?).Voce é tão especial pra nós, tão querida! Nós lhe amamos muito querida, e estamos esperando sua visita….
    Beijos mil!

    Curtir

  • Ju Lucatto disse:

    Katita , sua linda!

    Tive que fazer um update no post de ontem do “Quase 30” e citar seu texto. Você é um exemplo de mulher que dá conta do recado sem perder o bom-humor.

    Da uma passadinha por la, ainda está no começo mas é feito com muito carinho.

    Bjo
    Ju

    Curtir

  • Marcia Luzia Almeida disse:

    Katita, minha querida, eu te entendo e como te entendo. Trabalho fora, tenho dois filhos adolescentes com suas agendas próprias, um marido carente (KKKK), uma diarista que me enlouquece,. As vezes eu me perco de mim nesta rotina doida. Pra completar todos me querem pilotando fogão no final de semana porque estou aprendendo a cozinhar com você!
    te adoro!
    bjs
    Marcia Luzia Almeida

    Curtir

  • Manu disse:

    Katita, sua linda!!! Fiquei me imaginando daqui a alguns anos, igualzinha a você… gente, que vida louca!!!
    E essa canceriana aqui é caseira, mas DETESTA rotina. Um desastre. O desastre. hahahah!!!
    Olha só, chega lá no blog e participa de um sorteio que tá rolando, hein? Pode deixar o link? Se não puder, deleta meu comentário, mas passa por lá! Bjo! =)
    http://mendigochic.com/2012/05/09/sorteio-um-brinco-lindo-da-francisca-joias-contemporaneas/

    Curtir

  • Izabel disse:

    Deu pra sacar que você é mais uma que assovia e chupa cana ao mesmo tempo. Abç
    Izabel

    Curtir

  • janaina teles disse:

    vamos nos unir, katita!!! as atividades domésticas-maternas não acabam, nem diminuem, todos os dias se renovam.

    Curtir

  • Mariane disse:

    Posso dizer que eu invejei? Porque eu bem queria essa rotina, Katita… Me deixaria mais perto da minha bebêzinha. Eu passo 8hrs do meu dia longe dela, e dia desses ela preferiu o colo da babá ao meu, e olha, doeu… 😦
    Mas também não posso reclamar, tenho um emprego que amo e um chefe bem flexível, que faz vista grossa pros meus almoços de 3hrs…
    Enfim, né? É o que temos pra hoje.
    Bjs!!

    Curtir

  • Rachel Chamusca disse:

    Chega dói o coração de tanta lindeza que há no texto! Voce sempre se supera, Ka! bj.

    Curtir

  • Alyne Liberal disse:

    Katita vc é DEEMMMAAIIISSSS!!! Rolei de rir lendo seu post, me identificando (até nas descrições da guarda compartilhada) com o diferencial é que trabalho fora e todos os afazeres de cs e cuidados com o filho ficam para o horário de 19:30h ás 22h…
    Adoro suas receitas, te admiro de MONTÃO!

    Curtir

  • Dani disse:

    Tô aqui pensando “cadê q num inventam a guarda compartilhada pra casais casados????”.

    Curtir

    • Katita disse:

      Aspectos culturais cristalizados que não combinam mais com a vida moderna. Tá certo não. Chama o comparsa para uma forte DR enquanto ainda há tempo, e eu espero que haja, colega!
      =)

      Curtir

  • Cris disse:

    Pede platéia aos quase 7?? Ai meu pai, eu pensei que a essa altura, essa exigência não existisse mais!! O meu tem 3 e tem dia que não me deixa nem lavar a louça! Fica com o pano de prato na mão me dizendo “Toma mamãe, enxuga a mão e vem brincar comigo!” kkkkkkkkkkkkkk
    Queria 1 centavo cada vez que ouvisse a palavra Mãe! kkkkkkk!
    Xêro no olho e força na peruca!!

    Curtir

  • Lu Mattos disse:

    Sou mais uma das que te acompanham desde o RDL, mas hoje queria que vc soubesse o quanto me divirto com suas aventuras…perdi minha única irmã a cinco meses e com ela perdi minha alegria, mas ela me deixou de herança o Miguel( que tem 3 aninhos) e eu tenho o Lucas com 13…e é aqui com vcs – digo vcs porque os comentários são tão inspirados quanto os seus textos rsrs- Que venho me abastecer de animo e disposição pra encarar a vida .

    Hoje me deu vontade de deixar registrado o quanto TODAS vcs são importantes pra mim!

    Bjoos de Luz!

    Curtir

  • Juliana R/S disse:

    Katita!
    Vc escreve tão divinamente que emociona!!
    Bjo

    Curtir

  • Dani Falcão disse:

    Já vejo as Comadres aqui do Pitéu em coro para que você produza um livro louquíssimo e delicioso sobre a “RELAÇÃO DE AFETO COM A MINHA CASA”, conforme citou sabiamente a Pati Sato.
    Outro dia a música da Amélia não me saía da cabeça… quem quer vida de Amélia? Nem as Amélias não são mais como antigamente… Cheias de tarefas domésticas, acumulando tarefas dos parceiros, e fazemos tudo com amor. O excesso de trabalho, tanto físico quanto mental, exaure a alma, priorizar é fundamental, só tem que se organizar para isso, senão a procrastinação gera muitos conflitos.
    Não devemos perder a ternura, esta mesma que você, Katita, depois de toda esta ciranda, ainda transforma em palavras queridas e nos diverte tanto.
    Quando o RDL se extinguiu, foi um grande baque. Muitas de nós puderam por 5 maravilhosos anos, compartilhar experiências e como comemoração nos reuníamos, largávamos tuuuuudo e vivíamos a delícia daquele dia especial, e quem não podia, acompanhava com deleite as peripécias das Comadres, que arrancavam “as correntes” e reinavam em alegria, rsrsrsrs!
    Dos prazeres que me permito, ler é um dos que estão na lista.
    Há que se lembrar que a chama do fogão também aquece o coração, nada de deixar a amargura reinar!
    Se a maré permite, ajudante já!

    ❤ Um Feliz dia das Mães, para todas nós!

    Curtir

  • Karine Branco disse:

    Tirando as partes do pilates e do cochilo, to vendo minha vida aí… Eu tenho 2 pequenos e só o mais velho vai pra escola, por enquanto, mas a rotina é a mesma!

    Mas o pior do serviço doméstico é que só percebem o que realmente é o tal do serviço doméstico quando você não faz alguma coisa…

    Adoro seu blog Katita, ja te acompanho há uns aninhos…

    Bjoooos

    Curtir

  • Flor de Sal disse:

    E quem pensou que vida de Katita do Cozinha fina era só glamour (kkk) e sabe de uma coisa flor, o texto é tão verdadeiro, que vida de mulher-mãe não é vida de princesa esperando o príncipe e tudo anda na velocidade da luz na cidade grande. Seu Bento vai crescer lindo e leonino e com o passar dos anos quem sabe tu não vai morar na Chapada Diamantina ou na península de Maraú, cozinhar e contar os causos. Linda e feliz por ter realizado tantas e tantas coisinhas de mulher.

    Beijoca! porque esse texto foi pura adrenalina para eu levantar e pensar o quanto eu poderia ser mais produtiva.

    Curtir

    • Katita disse:

      Flor, e tu acha que os meus planos para a terceira idade são o quê? Exatamente isso que você escreveu! Vou ser uma veinha, meio raribô meio modernosa cozinhando e contando causo num paraíso desses… acho que mais para a Chapada, água doce, verde úmido e coisas que tais.. ô delícia! Não que eu esteja querendo antecipar as coisas, lógico!
      =)
      Beijo querida, que bom que post te beliscou!
      K.

      Curtir

  • Luciana Monteiro disse:

    AMEI e me revi,mas no meu caso era um com 7 anos e outra com 1 e meio…

    Curtir

  • Tita disse:

    Adoro o jeito como escreves!!
    Sucesso e descanso pra tu!!

    Curtir

  • Juliana do Valle disse:

    Delícia de ler! 🙂

    Curtir

  • Roberta Ferreira disse:

    Menina…e no meio disso tudo que nós super-mulheres enfrentamos todos os dias, vc ainda tem um tempinho precioso pra escrever aqui pra nós… Olha, obrigada, viu…obrigada por ter tempo pra dividir com a gente sua via florida…
    No meu dia corrido tambem acho um tempo pra vir aqui “te ver”…passo aqui todo dia..

    Beijos e força na peruca pra acordar linda e rainha pra mais um dia de batalha…

    Curtir

  • Ana Carpa disse:

    E ainda dizem as más línguas que não fazemos absolutamente nada dentro de casa. Aff, cansei só de ler. Já não tenho a mesma rotina, devido ao câncer, às sessões de quimioterapia, fisioterapia e as pias da vida. Melhor mesmo é dizer, que falta me faz as loucuras do dia-a-dia. Marido de 52, maravilhoso, filho com 25, nora de 20, neto de 1 ano e 9 meses e a sogra de 79, e ainda saio para cantar todo final de semana, é mole ou quer mais. E eu, com tantas pias para resolver ainda administro tudo isso na boa. Amo tudo isso. Só assim vivo feliz… Beijos Katita e que Deus te abençoe abundantemente… Ana Carpa…

    Curtir

    • Katita disse:

      Amém, Ana, queridona! Você arrasa! É lindo ver pessoas que tratam o cancêr como você; que escolherem viver e serem felizes de qualquer jeito!
      Beijo enooooooorme, enjoado de tão doce!
      K.

      Curtir

  • Mari disse:

    ai Katita, sério? não to acreditando que fiquei tanto tempo sem vir aqui! sou daquelas que te acompanhava desde o comecinho do rainhas e pirava nos teus textos. hoje tava vendo videos no youtube e dei de cara com voce ensinando um bolinho delicia que eu ja tinha feito aqui em casa varias vezes depois que vi no blog! quase chorei quando te vi na minha telinha kkkk tpm, sim! corri pra ca e me deparo com um texto genial desses? pô, demais pra mim!! vc é lindaa! bjss

    Curtir

  • Marília disse:

    Katita, querida
    Por mais que eu tente me convencer de que sou dona DA casa e não dona DE casa, não em jeito, sempre assumo mais do que é aceitável para uma pessoa sã. Aposentei, mas inventei de fazer faculdade, então, aula o dia inteiro, jantar, cachorras, meias que teimam em não encontrar o seu par, buraco no fundo do bolso prá costurar, capa nova do sofá pela metade esperando um tempo que não tenho para acabar. Uma faxineira que só chega ao meio-dia, o stress para administrar, demito? Mas, como dizia uma sábia, é melhor repassar uma gola do que passar a camisa inteira! beijos

    Remunerem as donas de casa!!!!

    Curtir

  • Pati Sato disse:

    Nem preciso dizer que piro nessa rotina né, já até conversamos sobre isso! Qdo a coisa tá braba, eu penso: RELAÇÃO DE AFETO COM A MINHA CASA kkkkkkk, ôô como ajuda, beijos

    A Sato

    Curtir

    • Katita disse:

      Imagina quando chegar um Lalazinho!
      Beijo,
      K.

      Curtir

      • Pati Sato disse:

        Sabe que eu tb me pergunto isso!!!!!!!!!!! Quando chegar o Lalazinho como é que eu vou fazer??? Se for leonino vou enlouquecer, pense mãe geminiana, beeem organizada, como tu bem sabes, pai sagitariano nada metódico, como tu bem deve ter percebido ao vivo, e filhote leonino kkkkkkkkkkkk, seria o samba do criolo doido, literalmente kkkk, aff,…. beijos

        by the way, PERFECT TEXT! DELICIUS!!!!

        Curtir

  • Danyelle disse:

    Que texto incrivel! uau

    Curtir

  • Roberta disse:

    Katita, também trabalho em casa e seria cômico contar quantas vezes levanto do computador e vou ao varal ver se as roupas secaram, ao armário da cozinha ver se tem lanche da tarde para os garotos, etc., tudo isso entre linhas de resenhas de livros jurídicos – rs! É doidera mesmo, mas é incomparavelmente melhor do que ficar presa “na firma” (rs de novo) o dia inteiro!
    Apoio total para a ideia das editoras descobrirem seus textos! Crônica delícia, essa! Beijão!

    Curtir

    • Katita disse:

      Roberta, boneca, sem dúvida é melhor trabalhar em casa, o problema é que o meu filho não entende que eu tô trabalhando!!!!!
      E esse negócio de alternar o trabalho cabeçudo com uma roupa no varal é bacana também, né não? Não dá uma espairecida, uma ventilada nas idéias?
      =)
      Beijo maior,
      K.

      Curtir

  • Cida disse:

    Bravo Katita!!!!
    Como sempre você descreve muito bem as situações, mas esse post de hoje ganhou o troféu. Tenho quatro filhos e sei bem o tamanho da barra que seguramos. Enquanto lia ou melhor, me deliciava com a riqueza dos detalhes, pensava no quanto somos todas as profissões do mundo.
    Beijos com muita cumplicidade e orgulho de te “conhecer” ainda que virtualmente,
    Cida

    Curtir

  • Camila Bargas disse:

    Aff! É assim mesmo, acho que só muda o endereço! Como dizia minha sábia Vó Dalva, “é serviço que nunca acaba e nem fica pouco”!
    Beijos, querida!

    Curtir

  • Hoje eu estava conversando com uma amiga sobre isso, a malfadada rotina. Comentei que ando muito cansada, que todo dia a noite me deito exausta e ela sugeriu um multivitamínico. Na real? Como cuidar de casa, bebe de 10 meses e marido, fazer compras, pagar contas, etc etc etc e não querer ficar cansada?
    Há dois dias eu ensaio de lavar o cabelo e não consigo, rsrsr.
    E vamo que vamo….

    Curtir

    • Katita disse:

      Camila, quando eu dava esse texto para o meu ex-marido ele dizia: “Katita, tudo é uma questão de prioridade que você dá às suas coisas”. E é mesmo. Só depois que eu interiorizei isso é que, o pilates, por exemplo, virou compromisso inadiável. Não tem jogo, não tem falta, não tem remanejamento. Faça chuva ou faça sol, aquele momento é meu, do meu corpo, da minha saúde, do meu bem-estar. Pode acabar o mundo lá fora…e acredite, ele não acaba só porque você se ausentou um pouco. Se o marido foe parceiro, fica bem mais fácil.
      Priorize-se um pouco! Começa pelo cabelo!
      E, por falar nisso, força na peruca.
      Beijo e fé,
      K.

      Curtir

  • Fábio disse:

    Belíssimo post Catita, esta ficando cada dia melhor.

    Curtir

  • marilene bastos disse:

    Miga to cansada só de ler, mas sabe que respirei qdo li sobre os dias de folga..kkkkk Mas pq não rolou uma faxineira ainda? Pelo menos p limpeza pesada…Beijos

    Curtir

    • Katita disse:

      Porque eu me propus a cuidar de tudo nesse período. Estava com saudade de ficar sozinha em casa, sem delegar, explicar, ensinar… pelada, de porta aberta, essas coisas…
      =)
      Beijo,
      K.

      Curtir

  • Ana Victoria disse:

    O meu dia é igual ao seu! Mas sou professora e quando chego em casa, da faculdade às 23h45 penso que não fiz nada!! Ah, o almoço do dias das mães (da minha, da sogra, da irmã e das cunhadas) também será na minha casa!!
    Quando eu me enterrava em um escritório de advocacia das 9h30 às 20h a vida era tão mais simples!! Socorro!!

    Curtir

  • Laura disse:

    Ai, amiga, tô morta de cansada ao acabar de ler.. rsrsrs. Beijo enorme, e viva a cama desfeita!!!!

    Curtir

  • Diane Lorde disse:

    Costumo dizer que somos literalmente mulheres maravilhosas por conseguirmos realizar tudo isto e ainda mantermos a sanidade mental.
    Há sim, só para constar, também estou muito necessitada de uma empregada, pelo amor da misericórdia..rsrs

    Curtir

  • Marisa disse:

    Hahahahahahahaha Katita!!!!Você é o máximo, bicha!
    Menina, Essa vida de dona de casa, mãe, heroína, dona de cachorro, chef de cozinha, lavadeira, passadeira e etc. “é de cair o c* da b*nda” (Substitua os asteriscos por lindos “U”s).

    Um axé pra vc! Donas de casas, united we stand! (Unidas venceremos!!!)

    Beijos,

    Marisa-TX

    Curtir

  • Andrea disse:

    Ufa!!!Fiquei até cansada!
    Mas meu grito de ordem é outro:
    Editoras, não desperdicem o talento de Katita!
    Amoooooo seus textos e tudo o mais que vc faz,com macaca ou sem!
    Bjs

    Curtir

  • leilabf disse:

    Pitadinhas de “eus” por ai, bju, muito legal

    Curtir

  • Viviane Lobo disse:

    Katita querida, a jornada dupla, tripla… é realmente muito cansativa, exaustiva… Tem dias que eu estou tão cansada ao acordar que penso que não dormi… Me animo ao saber que de fato tudo que tenho gosto, adoro meu trabalho, meus filhos, meus amigos, não consigo fazer tudo, nem agradar a todos, mas faço o meu melhor e tento a todo custo não ficar frustrada com a lista interminavel de coisas a fazer que nunca acabam, sempre tem algo mais a acrescentar. Estava eu agora em casa no almoço sentada a mesa com meus filhos conversando qdo percebi q as portas de minha casa tbm precisam de uma limpeza do “amor”… Kkkkkkkkkkkkkk… e as gavetas de meis dos meninos precisam de uma geral e a dispensa… só eu mesmo pq empregada não sabe fazer essas coisas!!!! É !!! Fazer o que? Adoro essa vida cansativa… Kkkkkkkkkkkkkkkk… bjs saudosos.

    Curtir

  • Ai como te entendo! E olhe que tenho que revezar entre balé e natação de ‘sinhazinha’, e o único horário que encontrei para me exercitar é ficar na água junto com ela, literalmente. Ela nada e eu hidro’nada’ porque ela grita, me chama…aiiiii é leonina também e o melhor, tenho dúvidas sempre, é que tem ‘marido’ que muitas vezes atrapalha mais do que ajuda! Então aqui na minha loucura entre faculdade/filha/casa/marido não tenho nem um diazinho de folga cumadre! Nem quando caio doente, coisa recente, pois tive que administrar do hospital e a distância as atividades da pequena. Não é fácil não. Da macaca do galho ‘ao lado’ rs…

    Curtir

  • Carol disse:

    O almoço do dia das mães será em minha casa. Marido acha que é dia de festa e resolve convidar toda a família e mais alguns amigos. Filha já fica preocupada vendo minha cara ao saber da quantidade de pessoas que virá no domingo. E eu me arrependo de ter dito que faria o almoço para minha mãe, quando marido entendeu para aS mãeS. Estou estressada desde já.
    Agora vou lavar o banheiro para ver se meu mau humor escorre pelo ralo.

    Remunerem as donas de casa!

    Beijos

    Curtir

  • MARCIA-sp disse:

    aff!katita,desacelera colega,kkkkkkkkk
    quando chega as 20:00,eu nao aguento mais ouvir mae,mae.fico irritada,mas enfim eu tbem quero remuneraçao,acho que as donas de casa merecem viu.beiju

    Curtir

  • Leni disse:

    Katita!!! vc é demais….me vi nessas suas palavras…porém não tenho a guarda compartilhada mais meu marido trabalha todo dia o dia todo então….tudo eu, tudo eu, tudo eu….realmente é uma correria que dá até canseira em pensar…

    Remunerem as donas de casa!!!!! e mães….

    beijooo
    Leni

    Curtir

  • hauahua, pior que é assim mesmo, só muda a ordem das coisas.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O que é isso?

Você está lendo no momento Serviço de casa não acaba nunca no .

Meta

%d blogueiros gostam disto: