Pela hora da morte!

7 de março de 2012 § 42 Comentários

Eu ando tão desgostosa com a instituição “supermercados” que tenho comprado comida pingadinho, sabe? Vou ao supermercado quando não tem jeito, para comprar aqueles ítens básicos, tipo material de limpeza, mantimentos, enlatados e encaixotados, enfim. O que eu tenho feito de drible para comprar o menos possível e passar o mínimo de tempo possível ali dentro, “não tá no gibi” (essa é véia, ã? mas é ótima, vai…). E não tenho me arrependido não, pois apesar de não ter parado para fazer as contas, tem sido muito mais leve e divertido, quer ver?

Quando quero comprar verduras e hortaliças tem meu chapa que fica ali na esquina da Escola de Teatro com seu carrinho de mão BALA todo verde desde bem cedinho com tudo muito fresco e orvalhado, todo santo dia; quero comer um peixe, um marisco, um camarão, vou ali no 2 de Julho, e quando lembro que tá acabando a manteiga já paro numa daquelas barraquinhas de coisas do interior, e acabo levando também um belo pedaço de requeijão e uma carne de sol para depois de amanhã; volto para a casa e paro nas meninas do feijão verde da esquina e resolvo a guarnição; ainda no 2 de Julho me lembro que a tradicional padoca Bola Verde, agora também é deli, e arrasa em alguns quesitos importados como geléias, cogumelos, enlatados, massas e até vinhos… e já me faço aquela gracinha pagando mais barato que na Perini; E ainda aproveito para comer um sonho no balcão ou estico até o Líder para comer aquele pastel de camarão do pecado.

(detalhe: tão sentindo que eu tô rodando mas tô me divertindo, né?).

Vou buscar uma encomenda na costureira que fica nos Barris, aproveito e dou uma passada no Grão de Arroz para compar os meus chás, e já saio de lá com aquele pão integral incrível, aquele iogurte melhor ainda, minha cajuína, um óleo de gergelim, um cardamomo, uma tâmara seca, um arroz vermelho, um feijão azuki, e se vacilar até um tofu, e saio me sentindo um exemplo de mulher natureba; ah! e aproveito para almoçar ou tomar sopa linda. Vou assitir a um filme na Sala de Arte Vivo do Shopping Paseo (só assim para eu ir ali), saio com antecedência e dou uma parada no meu querido CEASINHA para comprar um beiju, tomate seco e azapa a granel, um queijo de coalho, um melaço, uma manteiga de garrafa, uma carne de fumeiro, uma mostarda, condimentos que a gente só encontra lá… Ah! E aproveito para comer um sanduba de salsichão no Box do Alemão e passar na Oropa França Bahia para ver se tem vestido bordado.

E assim vou abastacendo aqui e ali minha despensa e geladeira, circulando, oxigenando, pesquisando, curtindo, porque supermercado, minha irmã, não é coisa de Deus não, viu? De pensar que já foi diversão para mim! Hoje em dia eu faço jogo até com minha mãe (troco, vendo, essas coisas) só para não ter que ir.

Tudo isso para dizer que ando bem deprimida quando vou, inevitavelmente, ao mercado, porque os preços estão descarados, desavergonhados, indecentes, um acinte! Das últimas vezes percebi aumentos de 20 a 30% em ítens como materiais de limpeza, leite e derivados, embutidos, biscoitos, ovos… eu tô com medo. Onde é que a gente vai parar?

E o que é pior: continuo enfiando dedo em tomate podre.

§ 42 Respostas para Pela hora da morte!

  • Tatiana SA disse:

    Detesto supermercado. Geralmente quem vai é meu marido. Mas aqui na fronteira ainda temos algumas vantagens, ir para a Argentina comprar uns vinhos (que lá são nacionais) e coisas assim. Mas hortifruti tem que ser aqui mesmo, porque juro que se você fosse ao mercado aqui em Puerto Iguazu, não ia sobrar um tomate sem furar com o dedo!

    Curtir

  • Nathalia B. F. Oliveira disse:

    Katita linda, leio seus posts desde o rainhas do lar. Sempre me dão água na boca, além da sua escrita leve, fico imaginando vc ‘cantando’ a receita. Agora que estou em Salvador (vim do Rio por conta do marido ter sido transferido pra cá) fico procurando os lugares que vc tanto referencia aqui. Qd vi a Perini logo lembrei de tu e tive que entrar só pra ver qual era a dela. Mas devo dizer que tb estou saturada de supermercado, seja pelos preços abusivos, ou pela quantidade de gente, de filas intermináveis, estacionamento… Se eu pudesse faria compras pela internet. E assim acabo optando pelos lugares que eu possa ir a pé, perto de onde moro.
    Vc é uma inspiração pra mim.

    Curtir

  • Katita,
    ADORO seus posts, e esse seu jeito gostoso e pròximo de escrever e transmitir emoçao!
    Se tem uma coisa que eu lamento taaaanto é de nao ter podido conhecer voce no encontro das Rainhas em Brasilia, pois, apesar de quase 40 anos de vida Brasiliense, quando ocorreu o evento de aniversàrio, eu jà estava morando aqui pros lados dazoropa.
    Falando no tema: desde que vim morar aqui na Italia aprendi, assim como voce faz, a pesquisar, a valorizar produtos zerokm, a curtir feirinhas, biroscas e bodegas.. e a ser feliz comprando com mais humor, mais leveza e mais charme.
    Beijo bem grande pra voce.
    Ciao..ciao.
    LuLu.

    Curtir

  • Márcia disse:

    Ótimo post,Katita! Concordo totalmente com o que vc disse dos supermercados,principalmente nós soteropolitanos que temos que aturar o famigerado Bom Preço…

    Curtir

  • Tania disse:

    Katita,

    Que delicia o seu texto! Penso que se eu morasse na Bahia adoraria fazer esse circuito de compras. Aqui onde eu moro tudo ta pela hora da morte tambem. O que salva eh que eu ainda gosta de fazer mercado 😉

    Bjs

    Curtir

  • roxane disse:

    Katita. Tentei te mandar um email pelo Cozinhaafetiva e não deu..
    Olha, fui ao Rainhas e não consegui chegar…snif. O que se anuncia é que foi “tirado do ar”. Procede?! Não pode, não pode! Vez por outra ia lá, matar saudades e “roubar deliciosas receitinhas e dicas”. Beijos

    Curtir

  • Tatti Carvalho disse:

    Kátia amore, não sei se vc conhece este site mas coincidentemente ele hj fala do mesmo assunto… achei incrível pois acompanho ambos, e lógico assino embaixo dos dois!
    Dê um saque, acho que vais gostar:
    http://casadachris.uol.com.br/blog/
    Bjks,
    Tatti (da dimas)

    Curtir

  • Lica disse:

    Katita, meu anjo,
    Aqui no Rio não rola esta das barraquinhas com produtos delicia e da roça não, pois senão vem o choque de ordem e leva tudo.
    Aqui o que pode se fazer e ir a feira, aí até rola um preço legal nos produtos da estação (mais barato, mais saudável e mais delícia)e para não correr risco, consulto a estação aqui ò http://comida.ig.com.br/comidas/produtos+da+estacao/n1237744466690.html .
    Flor, aqui no Rio as coisas estão de estourar orçamento (haja Santa Edwiges para livrar o povo das dívidas).
    Beijo grande pra ti.

    Curtir

  • Selma Oliveira disse:

    Oi Flor! Então… tá tudo caro mesmo. Eu não abro mão de qualidade e por isso, vez outra tenho que optar entre uma coisa ou outra porque as duas pesariam. O que resolvi fazer? Sabe esses atacados? Pronto. Chamei uma amiga para comprar material de limpeza e higiene em grande quantidade e ela chamou a mãe e uma tia e assim conseguimos economizar muito.
    Frutas e legumes compro na feirinha do bairro próximo, tudo mais fresquinho.
    Beijos!

    Curtir

  • Cynthia disse:

    tô num abuso de superrmercado…. aquele estacionamento, fila, carrinho, criança manhosa. Cada vez mais adepta de mercadinhos, padarias e feiras, de preferência perto de casa, pra ir a pé.

    Curtir

  • Pati Sato disse:

    Katita,

    Me identifiquei mto com seu post no quesito dos preços! Ir ao mercado ainda é um programão para mim, eu adoro kkk, passeio por todos os corredores! (oiii, será que eu sou doida? ou ainda não amadureci?) Agora anda tudo mto caro mesmo… sou como vc, de algumas marcas não abro mão e morro de medo de comprar as marcas diabo (minha amiga chama assim as marcas desconhecidas).
    Katita, aquela garrafinha verde ali do lado do saco de lixo, acho que é pelegrino, ou algo assim é o quê?? Água???

    beijos, flor

    A Sato

    Curtir

  • Fábio disse:

    O que é carne de fumeiro, Catita?

    Curtir

  • Sam Fofinha disse:

    Katita, isso porque você só falou dos preços e o tempo que a gente perde na fila?! Nunca consegui ir no supermercado rapidinho sempre tem filão! Estou morando há 1 mês e meio em Salvador e estou precisando me encontrar por aqui!!! Já joguei todas as dicas no google maps e tracei minha rota acho que na sexta me jogo nessa, hein?! Bjks

    Curtir

  • Viviane Lobo disse:

    Katita, adoro vc… Sds. Bjs.

    Curtir

  • Carla (do Baianices) disse:

    Eu daqui dos estrangeiros faco a mesma coisa, ainda mais agora que nao sou mais suburbana americana, moro no centro da cidade. Conheco todas as senhorinhas fofinhas que vendem coisas que preciso perto de casa. E vou te dizer, nao sei se economizo, mas dou meu rico dinheirinho pro cara ou a cara que tem a coragem de ter uma negocio proprio, e pequeno, nessa crise dos infernos. E, de quebra, me divirto horrores porque as pessoas, ne, Katita? As pessoas sao ainda melhores do que as iguarias que elas vendem.

    Curtir

  • Izabel disse:

    Aqui no sudeste os preços de gêneros alimentícios beiram a loucura. O pior é a corrupção desmedida e o acorbertamento dos verdadeiros índices de inflação. Não acho que seja um problema de pais emergente ou de primeiro mundo, acho que o problema é a cara de paisagem do nosso povo. Pronto, falei! bjs.

    Curtir

  • Priscila Prestes disse:

    mas tbem né dona katita, olha só suas compras: leite do melhor e mais caro, queijo caro, fruta de “embalagem” chiques, arroz do melhor, esponja da mais cara..aí tem como economizar neh? hehehehe
    aqui é carne de segunda, fruta da mais barata, leite do mais barato…só arroz que nao pq tem coisas que neh? não dá…hehehehehehe

    Curtir

    • Katita disse:

      Priscila, os ítens caros, permanecem caros, não senti que aumentaram não; tem barato que sai caro (tipo bucha e detergente vagaba); tem aquelas marcas que a gente não abre mão (no meu caso, arroz e leite por exemplo, que eu não vou dar leite suspeito que a gente acha alien dentro pro meu moleque); tem aqueles ingredientes que a gente compra em dias especiais (cottage e água especial); as peras estavam na promoção… bla bla bla… tudo é MUITO relativo, minha cara, né bem assim não. Eu tô bem ligada em custoXbenefício.
      E depois, reivindico preços justos por artigos bons, que é o que a gente merece, não é ficar se conformando em comer tudo de segunda não. Quero o melhor pelo menor preço! Pra mim e pra você.
      =P

      Curtir

  • Isabel disse:

    Katita, também to com paura dos supermercados… uma pelo preço, utra apela qualidade dos produtos. Voce não acredita, mas mandei meu filho comprar uma couve, ela veio amarela… toda amarela, como ele nunca se deu conta da cor da couve, comprou. .Agora passar pelo caixa… pra mim foi demais… Indignadissíma

    Curtir

  • Bel disse:

    Primeira vez que leio aqui… e já gostei! Por morar no interior (Ilhéus) não tenho todas essas opções, mas compartilho da ojeriza pelos supermercados!

    Curtir

  • Adriana Marinho disse:

    Pois é Katita, ando fazendo a mesma coisa,tá demais! Caminho por outras bandas tb, aproveito mamis que mora no Bonfim e encomendo todos os meus frutos do mar, inclusive camarão a 13 pilas o quilo, vale dizer que são vendidos na porta ainda, tá?!!!Castanha, minduins, e carne de sertão e linguiça de Maragojipe em Mateus, lá na Ribeira.
    E sempre frutinhas da hora aqui no meu amado Engenho Velho da Federa, dia de sábado então, tudo de bom Zezinho do peixe vermelho, guaricema, entre outras delícias, um mingauzinho quentinho na freguesa e lá se vamos nós mulheres guerreiras em busca de novas experiências gastronômicas rss Ah, esqueci ,aproveito tb e levo nossas roupas brancas para lavar nas mãos das minhas maravilhosas e gostosas lavadeiras da lavanderia comunitária, ali bem pertinho da UCSAL, na Federa tb, é claro.
    Bjus,
    Adriana.

    Curtir

    • Katita disse:

      Adriana, ARRASOU, principalmente nas lavadeiras. Ai, Jesus, chega enchi os zoim d’água… ô, meu Deus, onde estão as lavadeiras? Quanta recordação boa! Roupa branca no varal, depois engomada com ferro de brasa. Eu vi isso!
      =)
      Beijo agradecido pelas lembranças, querida.
      K.

      P.S.: Quero esse canal do camarão, tô pagando 16 pilas no 2 de Julho. Aproveito e estico até a Ribeira para tomar um sorvete! =)

      Curtir

  • Karina disse:

    Eu sempre me encontro nos Seus posts, incrivel!!!!! :-))
    Bj

    Curtir

  • Veronique disse:

    Infelizmente e verdade, e o preço a pagar para viver em um país emergente, com crescimento fora do normal e quem quer chegar em um país do primeiro mundo…..agora sabemos como estão os país do primeiro mundo ;(

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O que é isso?

Você está lendo no momento Pela hora da morte! no Pitéu.

Meta

%d blogueiros gostam disto: