O Amado

27 de fevereiro de 2012 § 23 Comentários

Eu sou aquela que visita a exposição no último dia; que chega na última sessão do filme e descobre que a programação rodou; que sai correndo da vendedora que diz “isso aqui tá super na moda, tem ótima saída”; que (hoje) evita lançamentos, estréias e burburinhos; e que finalmente é a última a comentar sobre o restaurante da moda, até porque muitas vezes ele já não está mais na moda, ou sequer existe.

Não dou conta de compromisso com a velocidade das coisas, de ter que saber de tudo o que está acontecendo, de ter que estar atualizada, na crista da onda. Para tudo que eu quero descer agora!

Feita esta intro, preciso destacar o Amado daqui do meu arquivo de lugares de comer, porque, de fato, se existe um restaurante contemporâneo (e brasileiro) melhor aqui em Salvador, eu desconheço.


(fachada e salão da minha cadeira)

Na minha cabeça, o Amado é o melhor restaurante contemporâneo de Salvador (que eu conheço) pelos seguintes motivos:

1- O talento, o bom senso, a alquimia do chef Edinho Engel (dono também do Manacá no litoral paulista, e autor do O Cozinheiro e o Mar) na elaboração dos pratos, na combinação dos sabores, na utilização do que o Brasil tem de melhor, na perfeita cocção, sabor e apresentação dos pratos.
2- O projeto arquitetônico de Paulo Jacobsen, que transformou um trapiche abandonado na Praia da Preguiça, endereço para lá de romântico da cidade de São Salvador, num ambiente elegantérrimo, algo rústico, que abraça a gente; um abraço de pedra, madeira e vidro que é para ver o mar. O mar não, a Baía de Todos os Santos, desculpa. O decor é bem bonito, o projeto paisagístico também, mas tudo construído sobre o exuberante projeto arquitetônico, que impõe respeito ao ambiente, determinando que ele seja calmo, silencioso e elegante, como se ultrapassássemos um portal que desacelera e convida à contemplação. Uma música tão perfeita em sua discrição (só um barulhinho bom ocupando a pequena parte que lhe cabe naquele latifúndio) que nem me lembro o que era, como tem que ser, afinal, ninguém vai ali para ouvir música.
3- O serviço eficaz, às vezes até um pouco simpático demais, mas melhor assim, né?


(nossos pratos perfeitos)

Ontem eu me arrependi por não ter provado um dos pratos de caça, vacilei. Eu tinha que ter experimentado a paleta de queixada ou paca, mas me rendi mais uma vez aos camarões… rosas com molho de gorgonzola e pistache, purê de mandioquinha e espinafre, e não posso dizer que me arrependi; já o meu amigo deliciou-se no famoso Prato dos Pescadores, uma combinação de peixe, frutos do mar e legumes, dos deuses, que eu provei de leve.

Bom, não dá para ir ao Amado uma vez apenas, o cardápio é muito sedutor para isso. Impossível sair de lá sem sonhar em voltar. Quem sabe o javali da próxima vez.

A pergunta que não quer calar: preço. Duas pessoas que vão de couvert (impecável) + 4 copos de vinho tinto chileno + 1 água com gás + 2 pratos individuais + 2 cafés (no nosso caso não sobrou espaço para a sobremesa), vão gastar 150 pilas por pessoa.

Vale cada centavo, pelo conjunto da obra, até porque, eu só pago uma conta destas a cada seis meses, e se eu tiver que viajar para comer num restaurante escândalo destes, há de sair mais caro.

(não deixe de ler considerações bacanas sobre o quesito preço aqui nos comentários!)

Visite o Amado aqui.

§ 23 Respostas para O Amado

  • Lica disse:

    Anotadinho no caderninho para conhecer na próxima visita à Salvador (que espero seja muito em breve).
    Da última vez que fui nesta terra linda (final de 2010), eu cismei que queria ir no Paraiso Tropical (lá em Cabula), e não me arrenpedi (apesar da aventura para encontrar o local).
    Mas agora com o seu aval, com certeza vou me jogar no Amado ( protegei-me minha Santa Edwiges).
    Beijo grande.

    Curtir

  • Lilia disse:

    Katia,
    O Amado realmente é uma delícia. Já tive a oportunidade de almoçar lá, porém fui na PJ ( pessoa jurídica) rsrsrs. Quero voltar.
    Agora pegando uma carona no comentário da “Biba”, eu gravei o programa e assisti junto com meu marido que tb é seu fã e ele me perguntou imediatamente: “Por que você não faz como ela?? “.
    Eu sou uma acumuladora, mas estou me policiando. Até comprei o livro.
    Que Influência!! Nossa!!
    beijão

    Curtir

  • Lígia disse:

    Ai, minha loucura com Salvador vem da sensação de que a cidade é cheia de momentos como esse que você descreveu no post: daqueles que rendem boas lembranças.
    Como no dia em que conheci a roska de umbu, vendo o pôr-do-sol no Solar do Unhão. Tô pra te dizer que isso faz quase cinco anos e eu ainda me pego sonhando com aquele dia.
    Alguém disse que falar do preço era honestidade e eu não podia concordar mais. É tão bom ler alguém autêntico e direto, pra variar!
    Obrigada pelo post!
    Beijão

    Curtir

  • Rachel Chamusca disse:

    Que post lindão, heim amiga?! Edinho jamais teve crítica gastronômica mais exuberante! Adoro o Amado (minha exigente amiga Eduarda Almeida sempre fala que o considera é o melhor restaurante de Salvador). Ir naquele lugar é muito mais do que fazer uma refeição, ali se vivencia uma experiência de êxtase dos sentidos, por todos os aspectos que voce já escreveu de forma tão preciosa. Bj

    Curtir

  • Rosangela disse:

    Katita , que delicia saber que o Edinho conquistou seu espaço e cresceu , conheci ele a 20 anos atras quando Camburi era muito + mato que gente , a estória de vida dele é linda demais , e sempre mesmo no meio do mato , o capricho , as invenções deliciosas e o carinho sempre presente nos pratos . Isso me lembra muito vc , o que se faz com a alma se faz muitooooo bem !
    Agora preciso ir pra Salvador conhecer o Amado .
    Bjks

    Curtir

  • Li disse:

    Katita,
    Que saudades de Salvador lendo este teu post…sempre que viajo elejo um restaurante para “investir”, ahahaha. Já estive algumas vezes nesta cidade linda e já fiz alguns investimentos que valeram muito a pena.
    Precisamos nos presentear com determinados luxos volta e meia, a vida só tem graça se for assim, né não?
    Beijos querida.

    Curtir

  • Selma Oliveira disse:

    Oi flor! Primeiro agradeço o post. Eu adoro receber dicas de lugares bonitos e de comida boa pra conhecer. E você descreveu tão bem e foi tão honesta em citar o preço que fiquei mais feliz ainda e anotei no meu caderninho de dicas de viagens. Adoro viajar e não conheço Salvador ainda. Sou pernambucana( ai que saudade da minha terra), mas moro em São Luís, MA. Aqui, comer fora é muuuuito caro! E a comida nem é tão boa assim , hein! Apenas 2 ou 3 restaurantes eu indicaria. Mas indico o arroz de cuxá. Esse eu até aprendi a fazer de tão gostoso que é, flor. Depois te mando a receita.
    Beijos!

    Curtir

  • Valerie disse:

    Mas nesse preço tem que ser dos Deuses! Pelamor… acho que os restaurantes no Brasil estão exagerando nos preços, por melhor que seja a comida, me dói pagar tanto.

    Curtir

    • Katita disse:

      Valerie, é fato que os preços no Brasil, em geral, são exorbitantes. Mas, ô! Se eu tiver que viajar para comer num restaurante escândalo, há de sair mais caro, como eu falei, né?
      =(

      Curtir

    • Carla (do Baianices) disse:

      Valerie, eu concordo com voce. O crescimento do pais tem servido como embasamento pra essa corrente de valores exorbitantes. Vinho e comida boa no Brasil ainda sao considerados luxo. Alem de onerar o custo das coisas de boa qualidade pro cidadao comum, isso ainda encarece pro turista que, consideremos, e’ um tiro no proprio pe. Mas eu acredito que a gente ainda vai achar o caminho das pedras.

      Katita, a questao e’ voce poder comer num restaurante escandalo sem ter que gastar tanto. O baiano agradece, o turista agradece tambem. Eu ja tinha pensado nessas coisas quando li seu post sobre o Boteco do Franca, que tambem acho caro. Portanto, nao ficamos apenas na regiao da alta culinaria.

      Desculpa assaltar seu post lindo, Katita. Mas eu achei que cabia aqui porque voce ta sempre muito preocupada com outras questoes de ambito social.

      Curtir

      • Katita disse:

        Carlinha, sua fofa, gente elegante que nem você pinta e borda aqui, meu amor, fica tranquila. Eu ate chamei o povo lá no post para vir até aqui nos comentários para ler estas considerações, até agora sua e da Valerie. E depois, eu fecho LINDA com vocês. É muito caro mesmo, mas eu vivo aqui, e da mesma forma que pago caro por uma garrafa de vinho que custa 1/3 na Grã-Bretanha, sou obrigada a pagar caro para comer uma comida mais sofitiscada, porque essa é a nossa realidade atual (mas concordo contigo que isso vai mudar, é só uma questão de tempo), é a realidade do mercado aqui (falo do Brasil, lógico). Quando eu digo que vale cada centavo, estou considerando o que a gente paga aqui, porque não é nada difícil você pagar uma conta do mesmo valor num restaurante meia-boca, só porque comeu sobremesa e tomou uns drinks a mais, embora a comida tenha sido besta, ou melhor, ruim, e o que é pior, num ambiente sem tratamento acústico com um tela de plasma enorme exibindo os mais-mais do proprietário, ou o top 5 MTV.

        É a mesma coisa de esquecer a nossa moeda quando estamos em país alheio. É viver a realidade do lugar. Não se trata aqui de pagar 150 pilas num almoço. Trata-se aqui de fazer um investimento, uma vez a cada seis meses (no meu caso), num restaurante que vai me fazer feliz, porque “comer, beber e viver” é tudo pra mim, é para isso que eu trabalho, que eu vivo. Mas eu sei que estou pagando caro por isso.

        Um beijo enorme e continue contribuindo sempre com o seu olhar, assim como a Valerie, aqui no Pitéu. Até porque, senão fica besta e chato e fofinho demais.

        =)

        Amor,
        K.

        Curtir

  • Katita arrasa sempre, com as fotos e com os fatos, e melhor, com os relatos! Semana passada meu marido te assistiu na tv com Ana Maria Braga. Foi tão bacana, que nossa caminhada matinal de 7k no parque foi uma conversa baseada no que vc falou. Curioso que desta feita, não era mais eu contando ao meu baiano sobre vc (convenhamos existe a Biba antes do Rainhas do Lar e depois, este blog e seus escritos abalaram minhas estruturas internas! foi um marco na nossa casa! para melhor, claro), me diverti com ele me contando o que vc havia dito ! Viu só? Quem sabe um dia não vamos todos juntos ao Amado -que conhecemos e achamos lindo!-

    Curtir

  • Simone Marcelino disse:

    Katita,
    O Manacá é TUDO, meu lugar preferido quando morava por lá…deu uma saudade!
    Bjs

    Curtir

  • Pense que eu dei um suspiro profundo quando abri esse blog hoje!!!!

    Eu sempre sonhei com o Amado mas nunca achei companhia que topasse e tb não sabia quanto ia custar esse deleite…

    Adorei a matéria…Mesmo.

    Curtir

  • Fábio disse:

    Catita, que lugar lindo, me deu vontade louca de ir ai.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O que é isso?

Você está lendo no momento O Amado no .

Meta

%d blogueiros gostam disto: