Projeto banquinho do lixão do amor

25 de outubro de 2011 § 49 Comentários

A moçada das antigas tá ligada que eu sou chegada num lixão, e conheço bem as origens dessa sedução pelo descartado por outrem. É que eu tenho uma tia que era meio doida. Não, doida de pedra, vocês não estão entendendo. A Valdete. Valdete Souza Rabelo, meia-irmã da mamãe. Vou traçar o perfil físico: branca, ruiva, cheia de sardas, que agora deve ter seus sessenta e tantos. Paulista, moradora desde sempre na Ponte Grande, Guarulhos, mãe do Marcos, da Paula, da Bruna e do Marcelo. Viúva do Argemirinho, filho de Dona Dolores, uma espanhola, que era seu inferno astral, e vice-versa. Pois bem, só para vocês terem uma idéia, a Valdete era (não sei mais se ainda tem a mesma pegada da minha infância, pois perdi o contato com ela) habituè de velório, programa que para ela era o máximo. Não liberava nenhum defunto, podia ser o amigo do sogro do primo em terceiro grau, que ela atravessava a cidade de São Paulo sob forte temporal, uma carpideira profissional. Aquele fascínio mórbido sempre me intrigou deveras! Mas a lembrança que mais povoa a minha memória é da Valdete com o saiote sobre os peitos, completamente descabelada, futucando o lixo da vizinhança altas horas da noite e carregando um monte de tralha para a sua casa, quesito à parte. Eu falei que ela era doida, não falei?

Na época, nos envergonhávamos todos, mas hoje a Valdete seria IN, meu amor, porque a bicha era uma visionária, vamo’ combinar? E foi bem dela que herdei esse meu entusiasmo e olhos atentos para o lixão.

Bem, feita a introdução, eu queria dizer que fiquei LÔKA com esse banquinho vermelho de pezinho palito que encontrei no lixão do meu amigo de fé-irmão-camarada, Nanã. Da primeira vez em que o vi ele estava na vaga de um apartamento e não tínhamos certeza se estava free, apesar do seu estado quase lastimável. Fui para casa, mas não dormi. Dois dias depois, voltei lá, passei o olho na vaga e nada. Nanã pediu notícia do dito cujo para o servente, que apontou para o containner onde ele tinha acabado de ser instalado. Rá! Abri o trem que nem uma catadora de lixo credenciada e lá estava ele.

O problema é a cratera numa das curvinhas do tampo, mas Nanã já me deu a dica que o o gesso vai fazer uma linda mágica ali. Daí que meu projeto banquinho consiste em: remédio de cupim, restauro com gesso, lixa, massa corrida, lixa de novo, pintura com tinta vermelha alto-brilho (Nanã me convenceu que para manter o ar retrô carece de brilho) e meu novo banquinho estará circulando serelepe pela casa cheio de estória para contar.

Agora esqueçam o meu banquinho, que eu só vou pegar nele quando “Deus der o bom tempo”, porque a chapa tá é quente até o fim do ano. Quando vocês nem imaginarem, lá na frente, ói ele, todo gatinho! Agora vão dormir.

§ 49 Respostas para Projeto banquinho do lixão do amor

  • Katita, massa de madeira funciona melhor que gesso nesse caso. Pode comprar pronta ou fazer a mistura pó de madeira (do marceneiro, bem fininha) + cola branca (do rótulo azul). Depois lixa + tinta + verniz.

    Vi ficar linda!

    Bjsss

    Curtir

  • Cristina Gomes/Brasilia disse:

    katita, se vc não achar a massa de madeira, arranja um pouquinho de serragem e mistura com cola de madeira..fica bom também…
    PS: tambem adoro uma restauração…vixe!

    Curtir

  • Maria Lucia Gomes Campos disse:

    Tô atrasada, no coments, mas adoro um lixo, quantas plantinhasas já salvei da leixeitra do meu andar, sempre que tem entulho de obra no prédio vou dar uma espiada, e olha tenho coisas muito bacanas em casa recuperadas desses lugares. Beijos.

    Curtir

  • Não sei se te falaram nos comentários, mas existe uma massa própria pra madeira que tapa estes buraquinhos aí. E vou te contar sou doida também, doida de carteirinha. Já achei coisas fantásticas no lixo, mas a melhor delas, foi uma moldura de espelho de madeira LUXO, que hoje, devidamente recuperada, está na minha sala de jantar e faz o maior sucesso. pode ser lixo pros outros, pra mim, foi um achado!

    beijos

    Curtir

  • Nando Reis (Nanã) disse:

    K.,
    Vi sim as dicas e adorei saber dessa, que para mim é novidade.

    Curtir

  • Maria julia disse:

    Katita, lindo o seu banco! Só não esqueça, pelo amor de DEus, do remédiode cupim. Senão, vc tá ;igada que a infestação nosseus outros móveis lindos é certa, né? Experiência de quem sofreu e muito nas mãos dos ditos cujos!!!

    Curtir

  • Claudio Neves disse:

    Oi Katita, em casa meu lugar preferido é na cozinha e aqui também não seria diferente. Como vc disse que vai seguir minhas orientação sobre a reforma do banquinho então vai mais dicas:
    – Na utilização de po de serra + selador: teste antes em outro local e quando tiver firmeza no uso utilize no banquinho.
    – No uso do selador utilize uma luva e até mesmo uma mascara. O selador acaba com as mãos.
    – Se indicarem em vez de usar selador para usar Cola Branca não recomendo porque com a cola branca vc não vai conseguir lixar. Fica emplastificado e não lixa.
    Acredito q te ajudei um pouco, pois vc com seu blog me ajuda e muito.
    Um grande abraço e beijo.
    Claudio

    Curtir

  • Suzi disse:

    Katita, minha frô! Dá cá a mãozinha! Sou lixeira maluca! De emprestar caminhonete de amigo pra catar peça na rua!
    beijos!

    Curtir

  • manô disse:

    Katita!
    vou te mandar a foto do banquinho vintage que achamos lááááá no fundinho de uma loja de 2ª mão e virou estrela!
    De pé-palito, pintamos de laca beringela e forramos com tecido azul turquesa! Ficou lindo-lindo-lindooooo!
    bjo

    Curtir

  • Paula disse:

    Katita, sua linda, adoro ler seus posts pq me identifico e não fico achando que sou louca sozinha!
    Minha vozinha linda tem uma mesinha de centro bem parecida com esse seu banco e ninguém entende porque eu sou louca por ele!
    Todo mundo vem com esse papo de: tá caindo aos pedaços, tá cheio de cupim, isso é lixo!! Mas eu já falei pra ela que vamos fazer um testamento dos móveis luxo que ela tem só pra ninguém poder por no lixo!!! São lindos, antigos, retrô total!!!
    Um beeeeijo enorme, gata!!!

    Curtir

    • Katita disse:

      Paulinha, eu também já fiz um rolo com a minha Tia Ninha, a Waldecy Souza Japkar, outra irmã da mamãe e da Valdete, que tem móveis e objetos lindos, que vez por outra já começo a ganhar. Ele sabe que eu sou a única pessoa da família que vou saber valorizar as suas “bugingangas”.
      Beijo maior, boneca!
      K.

      Curtir

  • Renata disse:

    Katita é formidável sua escrita, e sou da corporação do garimpo também. Na liderança a tia (incrível)

    bjú

    Curtir

  • isabel disse:

    Minhamãe tinha um banquinho desses, quando éramos crianças, faz tempo viu ?
    Apareceram doces lembranças em minha mente, Katita só voce pra ir buscar lá no fundo essas lembranças. Por isso que, cada vez mais, tenho que passar por aqui todos os dias. Aceite meu beijo carinhoso de boas lembranças e saudades dela ….

    Curtir

  • Fátima disse:

    “Fui para casa, mas não dormi.” rsrs
    Minha mãe tb é assim, qdo cisma, vixe…

    Curtir

  • Não era desses não, mas era retrô total.
    Minha mãe resolveu doar porque por mais que mandasse trocar todo o forno, o serviço sairia mais caro que comprar um novo.
    E hoje em dia o sonho de consumo dela é uma geladeira vermelha. Vai entender…

    Curtir

  • Katita,

    vc ia surtar com a minha mãe quando resolveu trocar o fogão daqui de casa por um novo. Era um Brastemp vermelho anos 70 total ( o bicho era mais velho que eu, e olha que tou com motor 3.1).

    Curtir

  • Nando Reis (Nanã) disse:

    Katita,

    Posso até te ajudar no seu projeto de restauração do banquinho, mas, você vai precisar de veneno para cupim, pois, se usar remédio para cupim, os que estão dodóis vaõ ficar saudáveis e detonar o que resta da peça. (eu sou terrível). kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk. Luv!

    Curtir

  • Claudio Neves disse:

    Olá Katita, Adoro seu Blog e sempre estou acompanhando sem manifestar, porém, na restauração do seu banquinho sugiro não utilizar o GESSO pois com o tempo ele irá descolar da madeira. Sugiro aplicar massa corrida PARA MADEIRA, não é a mesma aplicada nas paredes ou se estrago estiver grande faça o seguinte. Và até uma marcenaria e pegue um pouco de pó de madeira. Faça uma pasta do pó com selador de madeira e aplique no reparo. Deixe bem acabado pois depois de seco fica igual a madeira dura. Dê acabamento com lixa, aplique massa corrida PARA MADEIRA, lixe novamente e pinte.
    Um grande abraço.
    Claudio

    Curtir

    • Katita disse:

      Claudio, dá aqui essa bochecha?
      Eu ia fazer com pó de serra, mas o último maceneiro que trabalhou na casa de Nanã fez um acabamento com gesso que ficou massa, porém, senti TOTAL FIRMEZA na sua orientação e prometo segui-la à risca.
      Obrigada!
      K.

      P.S.: Amém, Jesus, como é bom ter homem nessa cozinha! =)

      Curtir

  • Angela Cruz disse:

    Katita, nao usa gesso não!
    Usa massa de madeira, ja ouviu falar?
    Meu marido aplicou aqui em casa. É tipo uma cola com pó de madeira. parece uma massa corrida.
    Tive um problema no batente da porta e indicaram este produto. Vc escolhe pelo tom mais proximo (tem mogno, etc). Depois de tratar o cupim, voce enche o buraco com a tal massa. Espera secar, lixa e fica perfeito!
    procura, voce nao vai se arrepender…

    Curtir

  • Marisa disse:

    Katiiiiiita,

    Além da paixão pela cozinha,os cabelos doidos encaracolados, o esmero em alimentar bem os nossos filhotes, vc tb é chegada numa velharia!??????DEMORO, bicha!!!!DEMORO!!!!
    ADOOOOOOOOOOOOOOOOOOORO, e tenho certeza de que vai ficar lindo, a minha ultima loucura aqui em casa foi pegar um móvel horrendo que meu marido comprou antes da gente casar e cobri-lo com tecido, tecidos variados, doidos!!!
    Beijos, beijos
    Marisa

    Curtir

  • Katita!

    Achei mto engraçada essa sua estória, pq meu pai SEMPRE teve essa mania de pegar as coisas do lixo!
    Uma vez achou várias cadeiras de plástico(dessas de festa) da extinta “Antarctica” mas ótimas! Aquele plástico duro, bem resistente, mas estavam todas arranhadas e resolveram jogar no lixo!
    Mulher, esse homem enlouqueceu e trouxe todas pra casa e estão lá até hoje! Bem presentes em todas as festas de família e conversas deliciosas na calçada! Minha mãe odiava essa mania dele, mas fazer o q?
    Sem contar o Guarda roupa que ele arrematou em um leilão! rsrs! Minha mãe surtou!! Ficou guardado por séculos e ela acabou dando!

    Lembrei de uma época deliciosa da minha vida! Obrigada!bjoss

    Curtir

  • Olá Katita!!!!
    Ando te espiando faz tempo. Seja nas panelas ou no decor, até feed já tenho para não perder uma só do ‘Pitéu’. Daquele jeito só de longe, por ter certeza de ser SÓ papo de comadre. Mas essa do lixão e seus fascínios valeu um follow e sair dos bastidores com esse baita comentário. Essa desse banquinho foi um tantão assim. E estamos aí na terra do Forte de São Marcelo. Kisses.

    Curtir

  • Katita disse:

    E outra, Leilah, você sempre me faz chorar…lembra da última vez? Eu tenho loucura pelos jogos amaericanos craft que você me deu, ciúme doentio!
    Tão pequenininha, tão gostosa! =)
    Amor,
    K.

    Curtir

  • Leilah disse:

    Katita, só vc! Olhos que veem beleza em tudo o que há! Tá tão difícil hoje em dia….vc com essas “maluquices” e projetos mirabolantes com certeza transforma o dia de muita gente. como fez comigo hj…tava tão jururu, sabe, naqueles dias meio sem inspiração….e vc aqui cheia de energia e vida e cor e transformação. Que bom que há vc, minha amiga, que bom. Qdo venho aqui sinto como qdo visitava a casa da minha avó, daquela despensa cheia de surpresas, tipo mundo secreto…um dia desses entrei lá e ela parecia tão pequena e vazia…será que cabia tanta coisa assim dentro dela? – me perguntei…sei lá, acho que eram todas as possibilidades que existiam dentro daquela menina que tornavam aquele quartinho um mundo…era mto boa a sensação….beijos! (tô viajando hj, não? rs)

    Curtir

  • Marilene da Silva Bastos disse:

    Ka eu tb gosto d lixão, já tenho aqui em casa carranca, banquinho de preto velho e canequinhas de ferro pintada a mão (essas viraram organizadores no armário do quartinho) que jogaram fora no meu antigo prédio…fico me coçando se não levo…a carranca tem até um fato engraçado, como coloquei ela do lado de fora do novo apartamento alguma criatura está sentindo-se incomodada e todo dia encontro a coitadinha de cara virada p parede….pode isso?

    Curtir

  • Taci disse:

    Mas como eu amor ler esses textos…eu morro de rir aqui! Você consegue quase se materializar através das suas palavras Kátia!
    Bem eu como defensora fervorosa do meio ambiente achei sua tia a melhor! E sua atitude valorosa e estou louca para ver o banquinho. =***

    Curtir

  • RôGratão disse:

    Katitaaaaaa
    Du-vi-do-e-o-dó que você vai “guentá” ficar sem mexer nessa belezura até o ano novo… kkkk…
    E seria capaz de apostar que ele já vai estar pronto pro Natal… vermelhinho… lindo… e brilhante…
    E vamos combinar né? Se você já perdeu o sono pensando onde estaria o banquinho, então perca mais umas noites cuidando dele… Hehehe…
    beijinhos,
    RôGratão

    Curtir

  • Maris Stela disse:

    Também sou “dessas”, já garimpei uma panela de ferro com tampa, novinha e também um ferro de passar roupas, daqueles à brasa. ADORO! Bjks.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O que é isso?

Você está lendo no momento Projeto banquinho do lixão do amor no Pitéu.

Meta

%d blogueiros gostam disto: