Dourado à escabeche com molho de salmão

20 de junho de 2011 § 13 Comentários

Meu escabeche é assim: tempero minhas postas de peixe com sal, pimenta, alho e gengibre no pilão com umas gotas de limão. Deixo curar por, pelo menos, 30 minutos, depois passo as postas na farinha de trigo e levo ao forno para dourar.

Enquanto isso, numa panela de barro, disponho rodelas finas de cebola roxa, pimentões e tomates, rego com azeite de oliva e levo ao fogo para refogar; junto caldo de legumes ou camarão e deixo cozinhar em fogo baixo. Quando os temperos estão no ponto somo um pouquinho de leite de coco e ervilhas frescas, acerto o sal, e deito ali as postas douradas do peixe, para só no fim de tudo cobrir o escabeche com muita salsa fresca. Como eu tinha uma sobra de salmão no vapor em casa, misturei também ao molho logo depois do leite de coco e das ervilhas.

Não tem erro: escabeche é coisa de Deus.

§ 13 Respostas para Dourado à escabeche com molho de salmão

  • otimo o jeito de preparar, gostei muito .. vou ficar fregueza, de katita è uma delicia …abraço …

    Curtir

  • Kate Luna disse:

    Katitaaaaa mulher, amei o truque … pra que fritar o q pode assar ! acendeu uma luzinha em cima da minha cabeça oca kkkkkkkkkk …. Amo peixe ao coco,escabeche, mas ODIAVA ter q fritar e suja o fogão,encher a casa com o cheiro da fritura … foi de Deus essa tua dica viu kkkkkkkk
    bjs e te amoooo, não sei o q seria de mim sem vc e o pitéu.

    Curtir

  • evelyn disse:

    que-que-quei-mar ela? rsrsrs precisa eh? safadinhass as paneleiras de lá, num avisaram…rs vou tentar e depois te digo..passa oleo e taca no forno? poe algo dentro?

    Curtir

  • Flavia Tunes disse:

    Katita, desculpe o texto grande, mas quem se interessa por culinária sabe o valor de cada “mestre das artes culinárias” como se dizia. Mas é arte da memória de um povo. É arte de alimentar: uma família, de divulgar saberes, de multiplicar os conhecimentos cozidos e assados de um povo.
    Colo uma notícia veiculada pela Folha:

    MARIA STELLA LIBANIO CHRISTO
    (1917-2011)

    Uma mestra da culinária mineira

    DE SÃO PAULO

    A mestra da culinária mineira Maria Stella Libanio Christo, que iniciou a carreira literária aos 60 anos e publicou oito livros de gastronomia, morreu anteontem, em Belo Horizonte, de falência de órgãos. Tinha 94 anos.
    Seu primeiro livro, “Fogão de Lenha – 300 Anos de Cozinha Mineira”, lançado em 1977, tornou-se referência no assunto. Depois de anos de pesquisa pelo sul de Minas Gerais e pelas regiões mineiras de Ouro Preto e Mariana, a autora compilou na obra mais de 500 receitas -chegou a descobrir uma de 1837.

    O livro foi dedicado “à mulher brasileira que teve no fogão um companheiro de vida: mamães brancas, pretas velhas, escravas, titias gordas, empregadas domésticas, donas de casa, Marias de muitas dores e poucas alegrias numa profissão que continua emprego, embora seja arte”, como escreveu.

    Capaz de fazer um pastel de nata com uma massa folhada tão solta que se abria como livro, como contou à Folha em 1977, Stella serviu no lançamento de “Fogão de Lenha”, no Rio, licores mineiros, pães de queijo, broinhas e biscoitos de polvilho.

    Com o filho e frade dominicano Carlos Alberto, o Frei Betto, lançou os livros “Fogãozinho – Culinária Infantil em Histórias” e “Saborosa Viagem Pelo Brasil”. Também deu conferências e levou os pratos mineiros a países como Itália, França, Áustria, Rússia, Cuba e Senegal.

    Militante da Ação Católica desde jovem, Maria Stella atuou até o início do ano no núcleo mineiro da Renovação Cristã. Viúva do escritor Antônio Carlos Vieira Christo, teve oito filhos. Deixa 16 netos e 15 bisnetos. “

    Curtir

  • Joy Cleave disse:

    Que escandalo esse peixe hein? Vou ter que fazer 🙂

    Um beijao e espero q sua semana esteja sendo boa x

    Curtir

  • evelyn disse:

    meu pai, comi letra..’coisinhas’ e ‘perde’

    Curtir

  • evelyn disse:

    Katitaa! eu de novo..2 perguntas…estive em Vitoria co namoradão e trouxe de lá as tão faladas panelinhas de barro…mas ai…akele gostinho q ela solta na comida..como faz p eliminar? naum sei se eh tinta ou oq…ja fervi, passei oleo, td akele esquema, mas ta cruel…a bixinha ta encostada no armario! heeeeelp!
    segunda pergunta…vc refoga as coisinahs com azeite? ele num pder as propriedades??
    bjinho!

    Curtir

    • Katita disse:

      Evelyn, flor, você curou a panela? Passou óleo apenas? Não levou ao forno para queimar?
      Sobre o azeite de oliva, uso para refogar numa boa, especialmente quando uso ingredientes que soltam água omo foi o caso. O que eu não faço é fritar.
      Beijim,
      K.

      Curtir

  • Luciene disse:

    HUMMMMMMMMMMMMMM! Beijo.

    Curtir

  • Gilnair Dos Santos disse:

    Ai ai ai, como é bom respirar por aqui! Delicia.

    Curtir

  • Larissa K disse:

    Comeria agora! Vou fazer em breve!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O que é isso?

Você está lendo no momento Dourado à escabeche com molho de salmão no .

Meta

%d blogueiros gostam disto: