O toque

3 de abril de 2011 § 15 Comentários

Sábado é dia de abrir a casa toda, deixar o sol entrar, colocar o Fruto Proibido (de Rita Lee e Tutti Frutti, 1975 – meu disco preferido), levar todos os travesseiros e almofadas e colchas para tomar sol na varanda, bater tapete, fazer um drink, as unhas, e comprar flores. Sábado também é meu dia preferido de almoçar fora, mas só se o dia estiver lindo, senão faço programinha de caramujo mesmo. Nestes dias prefiro restaurantes descontraídos, abertos, com entorno verde de vegetação ou azul de mar. Essa é a minha balada de sábado.

Se eu pudesse só comprava flores no Dois de Julho porque adoro o percurso a pé da minha casa até lá e há muito o que se ver naquele tradicional e simpático mercado popular, mas, infelizmente, as opções são mínimas e os preços mais caros já que aqueles comerciantes compram para revender pelos mesmos preços e no mesmo lugar que eu mesma as compro por ter cadastro de empresa na Holanja, Bonocô. Acontece que eu odeio comprar flores na Holanja, especialmente aos sábados, porque é muito complicado estacionar, e a impressão que eu tenho é que todas as pequenas floriculturas e todas as pessoas que trabalham ou estão fazendo festa naquele dia estão ali, aglomeradas, clamando pela atenção dos poucos funcionários, preocupadas por não conseguirem garantir a quantidade necessária de lírios para a decoração do casamento ou de gérberas pink para a festa de 15 anos. Isso sem falar na fila quilométrica. On the other hand, lá está o maior acervo nas melhores condições climáticas. Uma outra opção intermediária é o Ceasa Rio Vermelho, que apesar de mais caro também, é outro lugar por onde adoro circular; dá para estacionar numa boa, há muito mais opções de flores do que no Dois de Julho, e de quebra, ainda dá para passar na Casa de Noca para comprar o sequilho Joaquim Teodoro de Bento, uma manteiga de garrafa, um provolone desidratado; um camarão pistola numa das ótimas peixarias, um bom pedaço de carne de fumeiro, e ainda dar uma bisbilhotada no vestidos da Oropa França Bahia, lado B de Rita Assemany e Aninha Franco, damas do teatro baiano.

As flores que a gente encontra o ano inteiro aqui em Salvador são gérberas, astromélias, flores do campo, as tropicais, gypsophilas, rosas, crisântemos, palma de Santa Rita, dente-de-leão, sorrisos-de-maria; quase sempre cravos e cravinas, lírios, lisianthus, orquídeas selvagens, copos-de-leite, girassóis… raramente tulipas.

O tipo de flor vai determinar o tipo de arranjo. No caso dos lisianthus, minhas flores da semana, como os seus galhos são compostos de pelo menos duas flores entre abertas, semi-abertas e botões, dispostos em diferentes alturas, não se pode esparar delas arranjinhos-bola, uniformes, fechadinhos, do tipo buquês de noiva, a não ser que sejam destrinchados para este fim, o que vai determinar buquês bem menores. Vamos chegar lá, mas vamos partir do buquê inteiro. Como já as comprei arranjadas num lindo buquê, não houve necessidade de alinhá-las para cortar-lhes o caule. Se eu tivesse comprado um buquê de gérberas, porém, que são flores solitárias, o ideal seria que eu as alinhasse por cima na mesma altura para depois cortar-lhes os caules na altura proporcional ao vaso escolhido, afim de que ficassem todas do mesmo tamanho.

Para aproveitar as flores pelo maior tempo possível, eu começo preservando o seu caule em altura e arranjando-lhes em vasos maiores, já que vou precisar ir podando-lhes o caule diariamente, ao trocar a sua água, para permitir uma melhor absorção de água; daí, a medida que os meus buquês vão perdendo altura pelas podas, e volume pelos galhos e flores que vão perdendo o vigor, vou trocando os vasos, cada vez menores; vou dividindo-lhes em outros vasinhos e espalhando-os pela casa, até que restem as últimas flores, já arranjadas em latinhas, copinhos e toda sorte de recipientes nem sempre destinados a este fim, outro exercício que eu adoro.

Lisianthus são muito delicadas e gostam de sombra e água fresca. Não sou expert no assunto, apenas sigo a minha intuição. Como os meus arranjos de festa não seguem a linha Edward, mãos de tesoura, mas são apenas flores bonitas arranjadas proporcionalmente em vasos legais com água fresca, eu mesma costumo fazê-los seguindo estas regrinhas simples, mas tenho certeza que vão aparecer leitoras que manjam muito mais do que eu, com dicas bacanas para preservar as nossas flores por mais tempo; melhor do que ir ali no Google e fazer pesquisa, eu acho. =)

Primeiro eu observo o buquê para definir o vaso | depois escolho o maior vaso possível a fim de preservar-lhe a altura como expliquei acima | coloco água fresca até a metade do vaso | meço a altura do buquê em função do vaso | corto-lhes a base do caule para acertar a altura e garantir uma melhor absorção da água fresca | agora é necessário retirar as folhas da parte que estará submersa, do contrário, as folhas vão apodrecer na água e prejudicar os galhos antecedendo o seu fim, tudo o que não queremos aqui | depois é colocar as flores no vaso e ajeitar os galhos de forma proporcional, deixando as mais altas no centro, e as mais baixas por fora, ao redor. Note como os galhos de lisianthus são irregulares na altura das flores e como este detalhe determina o arranjo também irregular do vaso, o que não aconteceria se eu tivesse usado gérberas, por exemplo, que por serem solitárias, eu poderia arrumá-las todas da mesma altura, como disse acima, compondo um arranjo regular tanto para um vaso retangular, quanto para um vaso redondo para buquê bolinha.

Normalmente eu divido os meus buquês em pelo menos 3 arranjos para distribui-los pela casa, mas hoje resolvi proceder assim, num vaso apenas, para acompanharmos juntos o comportamento destas flores ao longo da semana, de vaso a vaso, de arranjo grande a arranjos menores, de poda a poda, que é para verificarmos por quanto tempo elas vão durar e quão lindas ficarão até lá. Poderei, inclusive, usar dicas de vocês para cuidarmos juntas deste buquê lindão, que tal?

Duas dicas ainda hoje: não exponha o seu vaso a um local com incidência de calor e deixe ele dormir na varanda, na janela, num lugar o mais aberto possível, a não ser que haja vento forte, que pode agredir as nossas delicadas flores.

O Toque
(Rita Lee)

Abri a janela
Um som diferente entrou
Meus olhos mudaram, eu sei
Ou foi o sol que mudou, babe

O som das nuvens
A conversa do vento
A voz dos astros
A história do tempo

O som das estrelas
A música do luar
Contando em segredo, eu sei
Contando todo o meu medo, babe,

O som das flores
O murmúrio do céu
Me deram um toque
Quem tem ouvidos que ouça

Você é uma criança do universo
E tem tanto o direito de estar aqui
Quanto as árvores e as estrelas
Mesmo que isto não esteja claro para você
Não há dúvidas
Que o universo segue o rumo
Que todos nós escolhemos

§ 15 Respostas para O toque

  • manoela disse:

    Kà (posso te chamar assim né?)

    Lisiathus são flores lindas memso, delicadas, cheirosas… amo! NO meu casamento todos os arranjos eram de lisiathus, rosas, boca de leão e lírios. tudo branco e verde… saudade deste dia tão especial!

    bjs

    Curtir

  • Nando Reis (Nanã) disse:

    mais um trecho de “Flores” da Zélia Duncan:

    “Pelos cômodos, na cômoda do quarto
    Uma banheira repleta de flores
    Pela estrada, pela rua, na calçada
    Flores para mim
    Flores pros meus braços
    Ofertá-las para parabenizar-te
    Flores quantas flores, forem necessárias
    Pra perguntares pra que tantas flores”

    Curtir

  • Luiza Sampaio disse:

    vamos sim… pois ele ta lindao!
    ja me inspirou pras flores do aniversario de dona moça! e nesses tons… 🙂
    beijinho
    Liiza

    Curtir

  • Luiza Sampaio disse:

    katita, flor!
    tenhgo um vaso igualzinho a esse!!! 🙂
    sei muito pouco de cuidados e acabo perdendo algumas flores pela mera preguiça de cortar os talos e repor a agua, rs! mas uma coisa ja aprendi o corte deve ser feito na diagonal e nao reto, assim, dizem os experts, dura mais!
    outra dica bem doida que ja recebi, mas que nunca coloqui em pratica é que uma aspirina na agua ajuda, rsrsrsrs… será?
    uma semana bem florida pra vc! 🙂
    bj

    Curtir

    • Katita disse:

      Luiza, eu tenho muita preguiça de cortar na diogonal quando tenho um buquê grande, porque se eu fizer isso de uma só vez, cada galho vai ficar de um tamanho diferente, tem que fazer de um em um, aliás, tem alguém aí para me explicar o porquê do corte diagonal ser mais eficiente? Já ouvi sobre as aspirinas, mas nunca usei. Lá para o meio da semana, quando ela começar a dar os primeiros sinais de tristeza, vamo’ experimentar?
      Beijo linda, e vamo’ ver no que vai dar esse processo!
      =)
      K.

      Curtir

  • Carol disse:

    Pensar que tem gente que não gosta de flor, como pode?? As flores dão vida a casa e alegram o nosso coração!! Essa semana foi aniversário da minha mais velha, enchi a casa de flores, foi lindo!!!

    Curtir

  • Karla Maria disse:

    Tb acho o sábado o melhor dia da semana, mil coisas que amo fazer aos sábados. Lindas flores, Ka.
    Tô cuidando de uns vasos de torênia rosa e azul, delicadas, meu xodó.
    Linda semana!

    Curtir

    • Katita disse:

      Karlinha, eu queria tanto ter vasos, cuidar de plantas… mas não rola, não dou conta, não priorizo e as minhas tentativas todas foram frustradas até agora.
      =(
      Torênia é uma coisa muito fofa e delicada, cuide bem de seu xodó!
      Beijo,
      K.

      Curtir

  • isa cambará disse:

    “Boêmia, aqui me tens de regresso”… Katita, por falta absoluta de tempo (como dizia Tom Jobim, estou trabalhando mais do que mereço), nem sempre tenho acessado. E, nessas poucas vezes, correndo. Mas, estou adorando a nova cozinha, que, na verdade, é um lar completo e aconchegante. Belo e preciso post.No alvo.Essecial para quem, como eu, não pode viver sem flores em casa. Aprendi mais dicas sobre essas maravilhas. abração.

    Curtir

  • Joy_UK disse:

    Ah katita, que lindo os seus sabados, viu?

    vc passa tanta serenidade, tanta leveza ao viver a vida…Eh mta inspiracao viu? E essa musica? Poesia pura 🙂

    Amei o seu buque e vou acompanhar o seu desenvolvimento durante a semana, to querendo mesmo aprender a aproveitar minhas flores ao maximo…Sabe como eh, primavera chegou aqui e eu acho q eh a minha favorita das estacoes. heheh

    beijos, flor

    Curtir

  • Krys disse:

    Achei ótima ideia esse de ir acompanhando o vaso durante a semana!! Hj mesmo estava fazendo uma arrumação na minha cozinha e separando uns vidros que dariam bons vasos para flores. Tenho certeza que vou ter ótimas ideias por aqui ao longo da semana :)))

    Curtir

  • Dricka disse:

    Também amo os sábados. É o dia que tenho para cuidar de mim, das minhas coisas e da casa com carinho. Meu sonho é uma semana inteirinha de sábados.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O que é isso?

Você está lendo no momento O toque no .

Meta

%d blogueiros gostam disto: