Meus olhos, boca e coração em Aracaju

19 de março de 2011 § 49 Comentários

Eu já conhecia Aracaju, mas não como quem fuça o seu mercado municipal, seu comércio popular, seus supermercados, sua mais fina delicatessen. Desta vez eu dei uma revirada nos bastidores da cidade, que agora entendo melhor.

O tempo foi curto para muito trabalho, não deu para fazer turismo gastronômico, e nem foi este o propósito da minha ida, naturalmente, mas deu para sentir o gosto da cidade. E mais, deu para estar com leitoras muito queridas e muito engraçadas, o que é melhor (as sergipanas arrasam no humor), ainda que rapidamente, ainda que um caco – após 4 horas de estrada engatilhadas a compras de alimentos e bebidas sob sol a pino na moleira e temperatura mais alta do país naquele dia. E, sobretudo, ter encontrado a minha linda leitora Liza, que virou cliente, e agora certamente amiga, depois de meses de tricot forte por e-mails; ter conferido o astral do Liam, seu filhote de 1 ano, para quem voltei a minha atenção e o meu trabalho nas últimas semanas. Agora é curtir esta sensação do dever cumprido e bem cumprido, modéstia às favas!

Os olhos

Aracaju tem tudo o que uma capital precisa ter, mas com ares de uma grande cidade de interior (exceção ao engarrafamento Atalaia-Mercado Municipal nas horas de pico). A vida corre mansa, margeada pelo mangue na área do centro, e pelas praias, mais afastadas. Há contrastes interessantes entre os prédios modernos da orla dos Jardins e a paisagem praieira e pacata dos barquinhos de pesca a 180° de pescoço. Como fiquei hospedada no bairro mais turístico, Atalaia, onde estão concentrados os hotéis e pousadas, e trabalhei lá na outra ponta, no Bairro Industrial, fiz o percurso de orla por, pelo menos, 6 vezes, e o visual que eu mais curti foi mesmo a orlinha depois do mercado municipal, onde há tempo e espaço para a sesta em redes à beira-mar. Tive a oportunidade de almoçar sozinha no Canoa´s e contemplar o desenho da ponte no céu azul, protegida do calor fulminante para além da sombra fresca, e fazer as únicas fotos legais da cidade que pude.

Achei o comércio popular, ali atrás do mercado, muito bom. Encontra-se de tudo, inclusive ítens que eu não encontrei mais em Salvador como boas petecas, piões de madeira e pacotes de lindas pipas para o decor da festa. Louça, importados, cama, mesa e banho, muita coisa, por preços mais baixos do que normalmente encontro por aqui. O mercado municipal é uma delícia e a cordialidade do povo sergipano merece destaque especial no Nordeste, dá gosto! Tive ótimos momentos no mercado municipal, comprei jogos americanos de palha coloridos e redondos lindos de morrer, e fiquei impressionada com a variedade de doces e biscoitos e manteigas e castanhas. Destaque especial para o Box do Cordel do poeta João Firmino Cabral e para a banca de pimentas Chora Negão (visualize a cena!). A peixaria também é o máximo, já o quesito hortifruti é bem basicão. Os supermercados deixam um pouco a desejar, mas onde é que não deixam, não é verdade? Na última foto acima, eu e a Ana, minha fiel escudeira, que contratei para colar comigo e me mostrar onde as cobras dormem em Aracaju, meu anjo da guarda na cidade!

A boca

Como eu falei, não fui fazer turismo gastronômico, até porque eu pouco como durante minhas produções; a fome vai pro saco e o tempo é curto, além do mais bebo muita água, muito suco, muita água de coco, muito caldo de cana e meio que me alimento enquanto me hidrato. Mas deu para sentir o gosto da cidade.

Nas fotos e detalhes: uma rica sacola de boas-vindas, gentileza da Liza, com doces, biscoitos, castanhas, mel, taboca e muitas outras delícias (eu disse DELÍCIAS) todas produzidas na terra, fiquei bege! | carne de javali que eu comi no Sal & Brasa com a minha amiga Lívia, Felipe e Uilma. Achei bacana a sensação de comer porco sem culpa, porque a carne é magra; bem gostoso, e o bufê estava um luxo de queijos, frutos do mar, alcachofras, legumes salteados e saladas mil! | vendedor ambulante de jamelões deliciosos | arrumadinho de charque ingênuo com milho verde e ovos de codorna – pedi o prato por causa da couve mineira que “tinha mas acabou”, no Canoa´s | pastel redondo de carne seca do Villa Botequim | doce de queijo – melhor experiência gastronômica da viagem; acho que entendi o princípio e acho que posso fazer uma versão bem boa, me aguardem | o café nordestino muito simples e honesto da pousada: frutas selecionadas, suco de laranja integral, aipim quentinho com manteiga derretida, cuzcuz de milho com ovos mexidos ao leite, bolo de laranja, pãozinho fresco, mussarela e presunto de ótima qualidade, café preto. Tudo delicioso e feito com amor pela cozinheira, copeira, camareira, tudo enfim, da qual acabo de desistir de me lembrar do nome.

É impressão minha ou o sergipano, em geral, carrega no sal? =O

O coração

O encontro com as leitoras foi uma delícia, e se elas aparecerem aqui de novo dizendo que eu sou um ser que irradia luz é porque elas são muito gentis, viu? Eu estava zumbi, cansadíssima como há muito não me sentia, de TPM, mas dei uma vampirizada boa nelas, que estavam cheias, repletas de amor para dar, e depois de uma hora de boa prosa, troca de carinhos, fofocas, boas risadas e algumas Bohemia´s, me animei de novo, tal qual uma Fênix, e tomei até uma saideira na pousada. As sergipanas são muito animadas, carinhosas e engraçadas. Precisávamos de muito mais tempo juntas!

Nas fotos, momento mico na esquina da Jorge Amado com a, vejam bem, CHEROBINA DE CARVALHO PINTO (tá, meu bem? que nome é esse? não é o máximo Cherobina?), uma esquina dos Jardins, endereço do Villa Botequim, bar escolhido pela Claudinha para o nosso encontro. Da esquerda para a direita, Clarissa, Claudinha, Frances, Lívia, Luzia e Emília (que nasceu no mesmo dia de Monteiro Lobato, ó que poderosa!), todas minhas! E mimos, que elas adoram me estragar! Panos de prato de vó e porta-guardanapos feitos pela Emília, perfuminho Salvador Dali da Clarissa (que veio com lápis de baleia para Bento) e painelzinho com motivo de festa junina, artesanato típico, que eu ganhei da Flavinha, filha da Lívia. =)

Gatas, muito obrigada pelo carinho, mas o nosso tempo juntas não deu para nada, quero mais!

E finalmente, o motivo da minha ida: a festa de um ano do pequeno Liam, uma criança zen, linda e risonha, como só as muito felizes são capazes. Nas fotos, dois pedacinhos da festa No quintal do Liam; eu com a família linda, e os lindos presentes que ganhei da Liza, como se não bastasse a sacola de gulodices de boas-vindas: uma kokeshi nova, duas miniaturas de cadeiras medalhão e um pendente de anjinho com a dedicatória de que eu fui um anjinho que caiu em sua vida, salvando-a de enlouquecer com a doideira de produzir a festa. Ponto para as meninas! =)

Mais uma festa linda, mais gente boa em minha vida.

Amém!

§ 49 Respostas para Meus olhos, boca e coração em Aracaju

  • Debora Cruz disse:

    Oxi… besteira? Jamais, Katita! Só que a Treze de Julho (onde tem um calçadão e, que já foi uma praia limpa e frequentadíssima de Aju) e o Jardins são locais diferentes… nada que tira o brilho do post rs Obrigada novamente! =*

    Curtir

  • Debora Cruz disse:

    E, minha linda, a “orla dos Jardins” a que vocÊ se refere, é a treze de julho?

    Curtir

  • Debora Cruz disse:

    Katita, te conheci qd vc foi na minha turma, na UFBA.
    Não conhecia seu trabalho antes, infelizmente. Mas como dizem: pra tudo há sua hora.
    Chegando aqui sem muito porquê hoje,
    me deparo com um post sobre minha cidade natal,
    a qual deixe, chorando, pra tentar viver o sonho de estudar Gastronomia, aqui em Salvador.

    Juro que deixei cair umas lágrimas ao ler seu lindo texto.
    As lembranças, o carinho, a saudade, o gosto de Aracaju ‘amargou’ a minha boca…
    tudo saltitou em mim agora.
    Lembrei da comida de mainha (mainha não carrega no sal rs), dos passeios com painho,
    das “saídas gastronômicas” com minhas duas irmãs,
    o amor mais novo da vida minha vida: meu sobrinho, que nasceu em 2009 (e por isso pouco posso acompanhar, pessoalmente, de seu crescimento), as cobaias incentivadoras tão queridas da minha cozinha: meus amigos… foi onde tudo começou, literalmente rs
    É amor, é família, é infância, é o primeiro contato com as panelas…
    Que saudade de minha cidade!

    Obrigada, Katita, por me fazer reviver tudo isso intensamente!
    Cheiros, abraço apertado, Paz e Luz pra você, sempre!
    Todo o carinho do mundo pra ti, e pra Bento (que nome lindo! Seria o nome do meu filho, se pensasse em ter um: coincidência)
    Todo o amor do mundo pra você!

    Curtir

  • Nanda( a da ladeira da Barra) disse:

    Claro que sim!

    Se me chamar, eu vou…( ao som de furtacor;)

    E festa, ô ô, a gente pede FESTA!

    Beijos.

    Curtir

  • Mariane disse:

    Ai que delícia Katita, que vontade que deu de conhecer Sergipe!

    Beijo

    Curtir

  • Luiza Sampaio disse:

    katita!
    que delicia ver que vc alem de trabalhar pra dedeu, sempre tira um jeito de aproveitar… ! :)))))
    to louquinha pra ver as fotos da festa, que deve ter ficado um arraso e saber do feedback das lembrancinhas.
    Até ja coloquei o post no ar: http://fantasticoficio.blogspot.com/
    um beijo,
    Luiza

    Curtir

    • Katita disse:

      Amiga, foi lindo! E como eu acabei de dizer no FO, também graças a você, seus dedinhos estavam lá!
      Beijo de amor,
      K.
      P.S.: Adivinha quem acabou de sair da minha casa? Fiz frapê de pinha para ele e Tony. =)

      Curtir

  • Nanda( a da ladeira da Barra) disse:

    O melhor é que Aracaja é pertinho, Ká. Dia desses vc pinta lá pelo João do Alho( onde eu tb preciso ir, a propósito).
    A festa tá uma coisa de linda. Tenho uma amiga que vai parir em 3 meses e vai decorar o quarto do menino só com brinquedos antigos. Nos divertimos hororres procurando pião, ioio, peteca e carrinho de madeira em Olinda! Vou mostrar suas fotos para ela.
    beijos.

    Curtir

  • ISABEL disse:

    Que trabalho lindo Katita, lindo e gostoso de fazer….Beijos

    Curtir

  • Liza Pimentel disse:

    Querida,
    O post ficou lindo!!!
    Seu olhar fotográfico, o carinho de suas palavras, pessoas especias…na linda Aracaju….enfim de todo esse seu talento só poderia sair esse lindo post.
    Obrigada por tudo!

    bjs bjs bjs

    volte logo!!!

    Curtir

    • Katita disse:

      Liza, querida, você é suspeitíssima! =)
      Te escrevi um e-mail hoje sobre o efeito dpresente que você deu para Bento. Todos os insetos que podem ser catados de pinça devem evitar cruzar o seu caminho, tá uma loucura!
      =)
      Beijo carinhoso,
      K.

      Curtir

  • Rafaela Rangel disse:

    Lugar linfo, festa Linda!!!!!!!!
    Tem um bom gosto msm!!!

    Adoru de paixão as suas receitinhas!!!!
    Casadinha nova sabe como éh heheheh

    Está de Parabéns!!
    Bju
    Rafa.

    Curtir

  • Luzia Almeida (Aju) disse:

    Katita adorei o post e sua visita!!!Você tem razão Aracaju é realmente encantadora!!!!!!!O encontro foi incrível!!!!!!!!!um xeru!!!

    não tarde a voltar!!!!!!!!!!!!!!!!!

    Curtir

  • Vel disse:

    Menina!
    Aracaju é um encanto mesmo…que belo passeio…
    Adoro ver suas produções e a sua criatividade, vc consegue extrair uma beleza absurda de coisas tão simples, e tudo que vc faz fica tão personalizado, único,genuíno que conseguimos enxergar e sentir todo o carinho que passou pelas suas mãos.
    Bjs
    Vel

    Curtir

  • Iroka disse:

    Sim, sim Katita! E quando rolar, vc vai lá em casa viu?!

    Curtir

  • Paula Yuri disse:

    Katita minha flor,

    Que viagem mais gostosa essa sua!!! Adoro os seus textos além de lindíssimos ainda tem umas fotinhos para babar. Meu anjo se não for incomodar, numa oportunidade que surgir ensina a fazer o cuscus que vc tomou no café?

    Sabe o que é, e que sou uma japa paraguaia, minha avó nordestina fazia pra gente qdo íamos visitá-la. Ela faleceu e levou a receita junto, pq a minha e tia não sabem fazer. E eu tô naquela vibe nostálgica, de reproduzir aquelas comidinhas de vó.

    Bjokas e desculpe o abuso!

    Curtir

  • Nanda( a da ladeira da Barra) disse:

    “Céu todo Azul
    Chegar no Brasil por um atalho
    Aracaju
    Terra cajueiro papagaio
    Araçazu
    Moqueca de cação no João do Alho
    Aracaju
    Voltar ao Brasil por um atalho
    Ser feliz
    O melhor lugar é ser feliz
    O melhor é ser feliz
    Mas
    Onde estou
    Não importa tanto aonde vou
    O melhor é ter amor
    Aracaju
    Cajueiro arara cor de sangue
    Nordeste-Sul
    Centro da cidade bangue-bangue
    Aracaju
    Menos o Sergipe e mais o mangue
    Ser feliz
    O melhor lugar é ser feliz
    O melhor é ser feliz
    Onde estou
    Não importa tanto aonde vou
    O melhor é ter amor”
    (C. Veloso)

    Aracajú, Cae e você, tudo a ver!

    beijos de saudade da sua nega das trilhas.

    Curtir

  • Danyelle disse:

    Que post liiiiiiindo! eu adorei, muito 🙂

    Curtir

  • Mandy Souto disse:

    Lindo e delicinha em pleno domingo ler um post cheio de aromas, alegrias, beleza, rima, verso e prosa.
    Beijo

    Curtir

  • Liana disse:

    Katita,

    Estreando em comentários, não pude resistir a este. Entendeu porque disse: “me leva junto”?. Aracaju para mim é uma cidade emocionante. Além das lembranças de infância, família etc, quando penso nessa cidade só sinto paz. Sinceramente, me senti elogiada indiretamente pelo seu post. Dizem que todo aracajuano fala que “tudo é perfeito lá” e que quem sai quer voltar, além da nossa habitual intolerância com as maledicências sobre a nossa terra. Agora tá bem explicado!!! Mesmo com o sal carregado…

    Bjs.

    Curtir

  • Iroka disse:

    Ai Katita de Deus!!Não vejo a hora de arrumar o meu picuá e ir morar lá em Aracaju. Ô lugarzinho que tenho paixão.Bjão…

    Curtir

  • Luciana Cupido disse:

    Katita,
    Post lindo e gostoso de ler. Viajei geral!!!
    Beijinhos
    Lu

    Curtir

  • Frances Hora disse:

    minha filhaaaaa, que post MARA!!!!!!!kkkkkkkkkkkkk

    Adorei as fotos, adorei seus comentários e suas impressões!!!!A pequena Aju tem tudo isso e mais um pouco!! Foi oootim vc ter vindo, foi ótimo termos nos reunidos e foi péssimo eu ter saído cedo!!!!!!!!
    Sei que tido ficou sem graça sem a minha presença kkkkkkkkk
    Foi uma delicia nossa noite de terça!!!! Vou fuçar lá no blog de festas para saber como foi pq eu fiquei curiosa!!!!

    Curtir

  • Pode rolar mais fotos da sua produção? beijos.

    Curtir

  • Joy_UK disse:

    Wow! Para o pouco tempo q vc passou la, deu pra fazer eh coisa hein?!

    Adorei a festa, que linda!!!
    As meninas de Aracaju sao umas sortudas 🙂

    Bom te ter de volta!!!

    Curtir

  • Andrea - Recife disse:

    Olá Katita, estava louca pra ler seu post sobre Aracaju! Sou irmã de Clarissa e ela me falou do encontro de vocês. Não sou muito de comentar os posts, mas acompanho sempre seus textos, muito agradáveis (e gostosos!) de ler.
    Bjs,
    Andrea

    Curtir

  • Clarissa-Aracaju disse:

    Olá Katita, sua estada aqui foi jóia! Valeu, o encontro foi superanimado. É tão bom conhecer uma pessoa que eu “já conhecia” virtualmente. Gostei muito das fotos, estão lindas! Hummm… gostei bastante da idéia do aniversário, com catavento, peteca e pipa. Opa, tem até um telefone sem fio! Uau, voltei a mente para há muuuuito tempo atrás… Parabéns! Beijos para ti.

    Curtir

    • Katita disse:

      Clarissa, quem mais viajou nos brinquedos de quintal foram os pais! Foi muito bacana ver adulto brincando de peteca, falando no telefone sem fio, jogando futebol de botão…
      =)
      Beijo de saudade!
      K.
      P.S.: Ah! Bento já está de lápis de baleia em punho!

      Curtir

  • Karla Maria disse:

    Fala se não é uma delícia viver experiências como essas?
    Amo Aracaju e o seu povo acolhedor e tão generoso.
    Viajei nas fotos e xonei no painel junino.
    Bjs

    Curtir

  • Fábio disse:

    Aracaju é muito bom, gosto demais de lá, quando vc falou do mercado lembrei logo dos camarões que comprei lá a “preço de pinga”, dos artesanatos baratos e da comida boa, muito melhor que a comida daqui de fortaleza. A cidade é como vc falou, parece interior e tudo é perto, como dizem lá, é a cidade dos 5 minutos, espero morar lá quando aposentar.
    Ha é, e que bom que vc voltou.

    Curtir

  • alba emilia disse:

    katita
    estava ansiosa para ler seu post…ficou perfeito bem no estilo katita de ser..obrigada por tudo você é um amor ..por favor volte logo, precisamos te conhecer melhor minha flor ….agora eu virei sua fã total e incondicional… beijinho a você e bento

    emília

    Curtir

  • Simone Bello disse:

    Que delícia de passeio..é eu viajei nessas imagens da cidade,que eu não conheço,mas sou louca pra conhecer!
    Como sempre arrazando,né nêga!!ADOREI!!!
    Bjs

    Curtir

  • Livia Palma disse:

    Tudo muito lindo, dignamente lindo para um ser digno como voce. Saiba que eu agora tô correndo pro centro, mercadão numa facilidade….Eu quero é ser feliz, dirigindo meu golzinho…..(Voce chegou o meu medo escafedeu-se).
    O Mercadão é ou não é a nossa cara?
    Olha gata, volte logo viu….Pra gente lhe curtir mais,ok?
    Nos lhe amamos muito, pode crer…
    Beijos mil!

    Curtir

    • Katita disse:

      Lívia, amiga, que felicidade por você ter vencido o seu medo de dirigir, arrasou!!!!! Agora ninguém te segura, daqui a pouco tá pegando as BR´s da vida! =)
      Muito obrigada pelo apoio logístico, viu? Foi lindo!
      Amor,
      K.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O que é isso?

Você está lendo no momento Meus olhos, boca e coração em Aracaju no .

Meta

%d blogueiros gostam disto: